Bancada do PR pede volta de Lula no lugar de Dilma

Manifesto assinado por 20 dos 36 deputados da partido pede a volta do ex-presidente; segundo o líder na Câmara, Bernardo Santana (MG), Lula é a pessoa certa para lidar com o atual momento econômico do País; crise "reivindica a força de uma liderança política com a experiência e o brilho de Luiz Inácio Lula da Silva", diz documento; segundo ele, apoio tem a intenção de "sensibilizar" Lula, mas não significa um rompimento com o governo Dilma; "Ninguém disse que não queremos a Dilma; nós queremos o Lula"

Manifesto assinado por 20 dos 36 deputados da partido pede a volta do ex-presidente; segundo o líder na Câmara, Bernardo Santana (MG), Lula é a pessoa certa para lidar com o atual momento econômico do País; crise "reivindica a força de uma liderança política com a experiência e o brilho de Luiz Inácio Lula da Silva", diz documento; segundo ele, apoio tem a intenção de "sensibilizar" Lula, mas não significa um rompimento com o governo Dilma; "Ninguém disse que não queremos a Dilma; nós queremos o Lula"
Manifesto assinado por 20 dos 36 deputados da partido pede a volta do ex-presidente; segundo o líder na Câmara, Bernardo Santana (MG), Lula é a pessoa certa para lidar com o atual momento econômico do País; crise "reivindica a força de uma liderança política com a experiência e o brilho de Luiz Inácio Lula da Silva", diz documento; segundo ele, apoio tem a intenção de "sensibilizar" Lula, mas não significa um rompimento com o governo Dilma; "Ninguém disse que não queremos a Dilma; nós queremos o Lula" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O líder do PR na Câmara, deputado Bernardo Santana (MG), divulgou na tarde desta segunda-feira 28 um manifesto em defesa do retorno de Lula à Presidência da República. O documento foi assinado por 20 dos 36 deputados da legenda. Segundo Santana, o Brasil precisa de um "reencontro com os princípios da aliança de 2002", ano em que Lula foi eleito pela primeira vez.

Para o líder do PR, é o ex-presidente quem tem condições de lidar com o atual cenário econômico do País. "Entendemos que o momento de crise, dentro e fora do País, reivindica a força de uma liderança política com a experiência e o brilho de Luiz Inácio Lula da Silva", diz trecho do manifesto. Após a leitura do documento, o parlamentar pendurou uma foto do ex-presidente na sala da liderança do partido na Câmara.

O apoio ao movimento de Volta, Lula, segundo o deputado, é uma tentativa de sensibilizar o próprio ex-presidente, que nega que será candidato à Presidência. Coincidência ou não, uma nota publicada pela colunista Joyce Pascowitch nesta segunda tem movimentado o cenário político. Segundo ela, Lula teria confidenciado a pessoas próximas que aceitou o desafio de concorrer ao Planalto já em 2014.

Santana negou, no entanto, que o esforço para a volta de Lula seja um rompimento com o governo da presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, o partido continuará votando com o governo. "Ninguém disse que não queremos a Dilma; nós queremos o Lula", afirmou. A posição da bancada não foi decidida com o presidente nacional do partido, Alfredo Nascimento.

Leia abaixo a íntegra do manifesto:

Nós, brasileiros, filiados ao Partido da República, deputados federais que compõe a maioria da Bancada na Câmara, devidamente representado pelo líder Bernardo Santana, que deve sempre verbalizar a vontade da maioria, vimos em CARTA ABERTA, reiterar nossos compromissos com o desenvolvimento do País, nos termos consignados pela aliança política construída no contexto das eleições de 2002.

Inspirados no ideal de um Brasil mais forte, soberano e socialmente justo, assentamos os alicerces do edifício que celebrou a união do TRABALHO e do CAPITAL produtivo, para a construção de um país novo.

Em nome de uma revolução social que não podia esperar, renunciamos, inclusive, a aspectos programáticos da doutrina que nos orienta. Muitos companheiros pagaram caro pela audácia daquela composição política, inclusive com a renúncia de projetos inviabilizados pela violência da verticalização, criada por um oportunismo sob medida.

Assumimos todos os riscos e o Brasil foi abençoado por um tempo de prosperidade e consenso. Sob a liderança do presidente Lula, o mais importante e prestigiado estadista do mundo emergente, deixamos nossas digitais na profícua obra do governo que mudou a história deste país.

Onde havia desânimo, o governo do presidente Lula e do vice-presidente José Alencar descortinou a esperança. Onde a prostração imperava, a era Lula levou a dinâmica do crescimento econômico que garantia renda mínima onde antes dominava a fome. Até o salário mínimo superou largamente a barreira dos 100 dólares, antes prometidos sem sucesso pelos que hoje se opõem ao legado de Lula.

Certos de que nossos compromissos não se esgotam na obra de um governo, entendemos que o país precisa do reencontro com os princípios daquela aliança de 2002, chancelada pelos compromissos afiançados pelo vice-presidente que surgiu de nossas fileiras.

Coerentes com estes princípios e certos de que o Brasil precisa inaugurar um novo ciclo virtuoso de crescimento pela via da conciliação nacional, entendemos que o momento de crise, dentro e fora do país, reivindica a força de uma liderança política com a experiência e o brilho de Luiz Inácio Lula da Silva, no comando da nação brasileira novamente.

MOVIMENTO UNIÃO BRASIL CAPITAL & TRABALHO

Brasília, 28 de abril de 2014

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247