Barroso diz que 'quase ultrapassou a linha' na briga com Gilmar

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que "quase ultrapassou a linha" na briga Gilmar Mendes, durante sessão no STF; "A exaltação não é a melhor forma de se expressar. Às vezes a gente levanta o tom da voz, mas essa não é a melhor forma de viver a vida. Pode acontecer de ser necessário, às vezes. Mas isso não é motivo de alegria. E em qualquer caso, a gente deve sempre estar em controle, sem nunca ultrapassar a linha. No caso de que estamos tratando, eu não ultrapassei. Mas foi quase", afirmou Barroso em aula na Faculdade de Direito da Uerj

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que "quase ultrapassou a linha" na briga Gilmar Mendes, durante sessão no STF; "A exaltação não é a melhor forma de se expressar. Às vezes a gente levanta o tom da voz, mas essa não é a melhor forma de viver a vida. Pode acontecer de ser necessário, às vezes. Mas isso não é motivo de alegria. E em qualquer caso, a gente deve sempre estar em controle, sem nunca ultrapassar a linha. No caso de que estamos tratando, eu não ultrapassei. Mas foi quase", afirmou Barroso em aula na Faculdade de Direito da Uerj
O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que "quase ultrapassou a linha" na briga Gilmar Mendes, durante sessão no STF; "A exaltação não é a melhor forma de se expressar. Às vezes a gente levanta o tom da voz, mas essa não é a melhor forma de viver a vida. Pode acontecer de ser necessário, às vezes. Mas isso não é motivo de alegria. E em qualquer caso, a gente deve sempre estar em controle, sem nunca ultrapassar a linha. No caso de que estamos tratando, eu não ultrapassei. Mas foi quase", afirmou Barroso em aula na Faculdade de Direito da Uerj (Foto: Aquiles Lins)

247 - O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, afirmou que "quase ultrapassou a linha" na briga Gilmar Mendes, durante a sessão dessa quinta-feira (26).

"Vocês ainda vão ter filhos um dia. Alunos são como filhos espirituais. E quando tiverem filhos irão aprender que os filhos não prestam atenção no que a gente fala. Eles prestam atenção no que a gente faz. Por isso, tenho a preocupação de nunca ser um mau exemplo", disse o ministro durante aula na Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

"A exaltação não é a melhor forma de se expressar. Às vezes a gente levanta o tom da voz, mas essa não é a melhor forma de viver a vida. Pode acontecer de ser necessário, às vezes. Mas isso não é motivo de alegria. E em qualquer caso, a gente deve sempre estar em controle, sem nunca ultrapassar a linha. No caso de que estamos tratando, eu não ultrapassei. Mas foi quase", afirmou.

A discussão entre os ministros expõe uma divisão no tribunal. Os julgamentos de questões que de alguma maneira estão relacionadas à Lava Jato são marcados pelo antagonismo de dois grupos. Alinhados ideologicamente, Barroso, Edson Fachin, Rosa Weber e, em várias ocasiões, Luiz Fux costumam proferir votos no mesmo sentido. Outro grupo, que conta com Gilmar, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski e Dias Toffoli, tem posições semelhantes em questões relativas à Lava Jato.

Assista à discussão entre Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes:

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247