Barroso: STF não deveria ser juiz de autoridades encrencadas

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou a utilização da Corte como instância criminal para julgamento de políticos com foro privilegiado; "A competência que joga o STF na tempestade política é uma que ele não deveria ter: a de funcionar como juiz criminal de primeiro grau para autoridades encrencadas. Tudo o mais é administrável", comentou o ministro; ele participa nesta quinta-feira, 16, de debate na Faculdade de Direito de Harvard sobre os papéis das supremas cortes

rpberto barroso
rpberto barroso (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou a utilização da Corte como instância criminal para julgamento de políticos com foro privilegiado. 

"A competência que joga o STF na tempestade política é uma que ele não deveria ter: a de funcionar como juiz criminal de primeiro grau para autoridades encrencadas. Tudo o mais é administrável", comentou o ministro.

Ele participa nesta quinta-feira, 16, de debate na Faculdade de Direito de Harvard sobre os papéis das supremas cortes, que entre os temas estão "Que competências uma suprema corte não deve ter?". 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247