Bolsonaro nega fritura de Moro e diz que ele é "patrimônio nacional"

Após semanas de fritura, Jair Bolsonaro resolveu afagar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, chamando-o de “patrimônio nacional”. “Se Deus quiser, vai dar certo esse plano piloto montado pelo ministério da Justiça, tendo à frente Sérgio Moro, que é um patrimônio nacional”, disse

(Foto: José Cruz - ABR)

247 - Após semanas de fritura, Jair Bolsonaro resolveu afagar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, chamando-o de “patrimônio nacional”. “Se Deus quiser, vai dar certo esse plano piloto montado pelo ministério da Justiça, tendo à frente Sérgio Moro, que é um patrimônio nacional”, disse Bolsonaro durante o lançamento de um projeto de combate à criminalidade nesta quinta-feira (29), em Brasília. 

“Obrigado, Sergio Moro. Você abriu mão de 22 anos de magistratura não para entrar em uma aventura, mas sim na certeza de que todos nós juntos podemos, sim, fazer melhor para a nossa pátria e colocar o Brasil no lugar de destaque que ele merece estar”, completou em seguida. 

Afagos aconteceram na esteira de uma série de declarações que colocaram Moro em uma situação delicada à frente do ministério. Na semana passada, Bolsonaro afirmou que quem mandava na Polícia Federa era ele, e que poderia trocar a cúpula da instituição se assim desejasse, a despeito da corporação estar subordinada ao Ministério da Justiça. Diante da tentativa de ingerência, as chefias da PF ameaçaram entregar os cargos caso a ameaça fosse concretizada (leia no Brasil 247).

Nesta quarta-feira, em entrevista ao programa Em foco, da Globnews, Moro disse ser “provável” que fique à frente da pasta até o final do governo Jair Bolsonaro. "Possível, não, provável: eu não entrei no governo para sair. Entrei para ficar", afirmou (leia no Brasil 247)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247