Bolsonaro diz que ato pró-governo foi 'significativo e histórico'

Jair Bolsonaro celebrou as manifestações de caráter fascista deste domingo em apoio a seu governo e pelo fechamento do Congresso e STF: "o que vimos ontem foi extremamente significativo e histórico"; em harmonia com a mídia conservadora, que distorceu e escondeu o conteúdo fascista da mobilização, ele qualificou-a de "manifestação expressiva a favor de reformas consideradas impopulares"; entretanto, as reformas não foram tema delas

Bolsonaro diz que ato pró-governo foi 'significativo e histórico'
Bolsonaro diz que ato pró-governo foi 'significativo e histórico'
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro celebrou as manifestações de caráter fascista deste domingo (26) em apoio a seu governo e pelo fechamento do Congresso e STF: "o que vimos ontem foi extremamente significativo e histórico". Em harmonia com a mídia conservadora, que distorceu e escondeu o conteúdo fascista da mobilização, ele qualificou-a de "manifestação expressiva a favor de reformas consideradas impopulares" -as reformas, especialmente a destruição da Previdência não estiveram na agenda de qualquer dos atos da extrema-direita. 

Ele voltou suas baterias mais uma vez contra a esquerda, apesar de o que se viu nas ruas no domingo ter sido uma luta fratricida entre segmentos da extrema-direita e dela com a direita tradicional. Os alvos dos protestos foram o MBL, o Congresso Nacional, especialmente o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o Centrão e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Veja os três tweets que Bolsonaro postou pouco depois de 12h:

  

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247