Bolsonaro, que era contra indulto, volta a prometer perdão a policiais: não tem nada arbitrário

"Estando enquadrado no decreto, os policiais civis e militares, que sempre foram esquecidos, dessa vez não serão esquecidos", reforçou nesta segunda-feira. Neste domingo 1, Bolsonaro chegou a mencionar que perdoeria os policiais que estiveram envolvidos no caso do Carandiru, do ônibus 174 e do Eldorado dos Carajás

(Foto: Reuters)

247 - Com um discurso totalmente contrário a indultos antes de assumir a Presidência, Jair Bolsonaro agora tem prometido indulto a policiais que, segundo ele, teriam sido presos "injustamente".

"Estando enquadrado no decreto, os policiais civis e militares, que sempre foram esquecidos, dessa vez não serão esquecidos", reforçou em entrevista em frente ao Palácio do Alvorada nesta segunda-feira 2.

"Nós oficializaremos todos os comandantes de polícia militar, do Brasil todo, para que eles mandem a relação com a justificativa. Não tem nada arbitrário”, anunciou.

Neste domingo 1, Bolsonaro chegou a mencionar que perdoeria os policiais que estiveram envolvidos no caso do Carandiru, do ônibus 174 e do Eldorado dos Carajás, gerando grande polêmica.

Em novembro de 2018, após vencer a eleição presidencial, Bolsonaro definiu o indulto como um "convite à criminalidade". "Já que o indulto é um decreto presidencial, a minha caneta continuará com a mesma quantidade de tinta até o final do mandato em 2022. Sem indulto", declarou à época.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247