Bolsonaro reedita 2018, ataca Lula e o PT e acena a conservadores para tentar reeleição

Bolsonaro tenta usar as mesmas estratégias da última eleição para sair da sombra de Lula nas pesquisas

www.brasil247.com - Bolsonaro em culto evangélico, Lula e carteira de trabalho
Bolsonaro em culto evangélico, Lula e carteira de trabalho (Foto: Alan Santos/PR | Ricardo Stuckert | Ag. Senado)


247 - Em baixa nas pesquisas de intenção de voto e com 53% de reprovação, de acordo com o Datafolha, Jair Bolsonaro vem fazendo uso de uma estratégia semelhante à utilizada nas eleições de 2018, quando apostou no discurso conservador em relação aos costumes e liberal na economia, além de atacar o seu principal rival e líder nas pesquisas eleitorais: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A informação é do jornal O Globo

Nesta linha, durante uma entrevista à “Rádio Viva”, do Espírito Santo, nesta segunda-feira (17), ele chamou de mentiroso quem afirma que a reforma trabalhista - implantada pelo governo Michel Temer e que teve continuidade durante o seu governo -  suprimiu direitos do trabalhador. 

A afirmação do ocupante do Palácio do Planalto tem como endereço o ex-presidente Lula, que lidera todas as pesquisas eleitorais e que no início do mês elogiou o governo da Espanha por revogar a reforma trabalhista aprovada pelo parlamento do país em 2012. A mudança na legislação espanhola retirou direitos da classe trabalhadora e serviu de base para a reforma implantada por Temer, que resultou em desemprego. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A exemplo de 2018, ele também vem atacando sistematicamente o ex-presidente Lula e atrelando as seguidas altas dos combustíveis a esquemas de corrupção na Petrobrás. Parte da estratégia de campanha foi antecipada no domingo (16) em um artigo do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. No texto, que critica Lula e a ex-presidente Dilma Rousseff, "ele indica que o objetivo é apresentar uma imagem de governo comprometido com a responsabilidade fiscal”, ressalta a reportagem. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em uma outra frente, Bolsonaro tenta recuperar uma parcela do eleitorado evangélico, que vem se afastando de sua candidatura, apesar do discurso conservador utilizado por ele em relação à pauta de costumes. Recentemente, ele afirmou que os jogos de azar “não são bem-vindos no Brasil” e disse que irá vetar o projeto, caso a proposta seja aprovada pelo Congresso. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email