Breno Altman: prisão de Temer é mais um crime da Lava Jato

Em entrevista à TV 247 nesta sexta-feira, 22, o jornalista Breno Altman analisou a prisão do ex-presidente Michel Temer e afirmou que a prisão é arbitrária; Altman também convocou a população para a jornada Lula Livre em defesa da democracia; assista

Breno Altman: prisão de Temer é mais um crime da Lava Jato
Breno Altman: prisão de Temer é mais um crime da Lava Jato

247 - O jornalista e editor do site Opera Mundi Breno Altman analisou a prisão de Temer, na última quinta-feira, 21, como mais um abuso da operação Lava Jato. Para ele, o ex-presidente foi preso com a intenção de dar sustentação à imagem da operação que perdeu prestígio com a sociedade na última semana.

"A prisão do Temer é mais um crime da operação Lava Jato, mais um abuso, mais uma operação política. A prisão do Temer não tem qualquer justificativa legal, faz parte do espetáculo da Lava Jato depois de ter sofrido derrotas importantes na última semana", se refere Altman sobre a decisão do STF que transfere para a Justiça Eleitoral as denúncias de caixa dois e a desilusão da Lava Jato que vislumbrava ter Deltan Dallagnol como novo procurador-geral da República.

Altman ressalta que Temer não merece a empatia da população brasileira, porém a prisão do ex-presidente não tem fundamentações jurídicas para ser realizada. É uma ilegalidade explícita, não importam as suspeitas ou as certezas que tenhamos sobre o Temer. Ele é um golpista, deveria estar preso pelo levante inconstitucional, pela intentona que levou à derrubada da presidente Dilma Rousseff, ele tem uma história de suspeitas de corrupção, é um elemento nefasto da oligarquia política do país, nenhuma simpatia pode haver em relação a um sujeito desse naipe. Mas não é isso que está em questão, a questão é deter ou não a Lava Jato, a principal operação de destruição do regime constitucional e do estabelecimento no país de um Estado policial".

O jornalista ainda alertou que a prisão de Temer pode fazer parte de uma construção de cenário ideal para que a Lava Jato possa ir à caça da ex-presidente Dilma Rousseff. Ele explica que a operação quer enganar a opinião pública afirmando, por meio de suas ações, que irá prender "gregos e troianos que estejam com as mãos na podridão do sistema político", assim mascarando sua perseguição ao PT.
Breno Altman também fez um apelo para que a população que é a favor da democracia se una em nome da soltura do ex-presidente Lula e da jornada Lula Livre que ocorrerá entre os dias 7 e 10 de abril nas principais cidades brasileiras e do mundo. "Evidente que a campanha precisa do apoio de todos que acreditam na democracia".

Ele ainda analisou a viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos na última semana. "Do ponto de vista de repercussão na imprensa internacional é uma catástrofe, uma vergonha. É um striptease das debilidades e posições do Bolsonaro que coloca o país possivelmente na sua situação mais ridícula desde a independência que já se aproxima de 200 anos".

Para o jornalista, Bolsonaro mostrou no encontro com o presidente americano Donald Trump o DNA de seu governo. "Em essência, Bolsonaro foi cumprir a agenda que faz parte do DNA do seu governo, um alinhamento incondicional aos Estados Unidos em todos os terrenos. Ele foi aos EUA, como disse Paulo Guedes, para colocar o país à venda".

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247