Cachoeira de lama em Goiás pega também o PT

Vdeo mostra bicheiro prometendo doao de R$ 100 mil ao petista Rubens Otoni; agora, o governador Marconi Perillo, que entregou a segurana ao contraventor, e o senador Demstenes Torres, que recebia presentes do professor, empatam o jogo; em Gois, todos se banham na cachoeira

Cachoeira de lama em Goiás pega também o PT
Cachoeira de lama em Goiás pega também o PT (Foto: REPRODUÇÃO)

247 – O governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, e o senador Demóstenes Torres, do DEM, já têm um argumento para esfriar a crise que se instalou no estado depois que a Polícia Federal deflagrou a Operação Monte Carlo. Nela, foi preso o bicheiro Carlinhos Cachoeira, que tinha poderes quase sobrenaturais no estado. Nomeava e demitia delegados, administrava uma rede de cassinos sem ser incomodado pela polícia e falava todos os dias com o senador mais notório de Goiás, o próprio Demóstenes, que o chamava de “professor”.

Agora, o jogo pode ser zerado. Um vídeo distribuído à coluna Radar, da revista Veja, mostra o deputado federal Rubens Otoni, do PT, negociando uma doação de campanha no valor de R$ 100 mil – e que não seria declarada. É uma cena parecida, aliás, com a que vitimou o ex-assessor da Casa Civil, Valdomiro Diniz, que recentemente foi condenado a 12 anos de prisão.

No vídeo (assista aqui), Cachoeira é claro:

- Eu não posso aparecer não. E o 100 mil, não declara não.

Nesta semana, o deputado Protógenes Queiroz encaminhou um requerimento para uma CPI destinada a investigar os negócios de Carlinhos Cachoeira em Goiás. Esta CPI teria o apoio do PT, mas pode começar a morrer agora que se sabe que o partido também se banhava na mesma cachoeira que contamina o estado de Goiás. Além disso, o próprio Protógenes tem um aliado que está preso. É o sargento Dadá, que fazia espionagem ilegal para Carlos Cachoeira e teve participação ativa na Operação Satiagraha.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247