Campanha anti-Dilma usa propaganda de Aécio

Grupos que organizam as manifestações do dia 15 de março, pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, têm reproduzido cenas da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência do ano passado; o partido nega que tenha cedido as imagens e Aécio afirma que ato é "um movimento da sociedade"; "Não do PSDB ou de outros partidos. É um movimento legítimo (...) e não faremos de conta que ele não existe", afirmou

Grupos que organizam as manifestações do dia 15 de março, pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, têm reproduzido cenas da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência do ano passado; o partido nega que tenha cedido as imagens e Aécio afirma que ato é "um movimento da sociedade"; "Não do PSDB ou de outros partidos. É um movimento legítimo (...) e não faremos de conta que ele não existe", afirmou
Grupos que organizam as manifestações do dia 15 de março, pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, têm reproduzido cenas da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência do ano passado; o partido nega que tenha cedido as imagens e Aécio afirma que ato é "um movimento da sociedade"; "Não do PSDB ou de outros partidos. É um movimento legítimo (...) e não faremos de conta que ele não existe", afirmou (Foto: Roberta Namour)

247 – Os grupos que organizam as manifestações contra a presidente Dilma Rousseff do dia 15 de março têm usado imagens da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência no ano passado para ilustrar o evento.

É o caso da peça de abertura de uma das convocações do ‘Vem Pra Rua’, que não destaca o senador mineiro, mas usa cenas da propaganda tucana. Segundo o líder do movimento, Rogerio Chequer, eles apenas republicaram o material, não o produziram.

No Whatsapp, um dos responsáveis por repassar as imagens é Zuza Nacif, que coordenou parte da campanha de Aécio e ainda faz trabalhos para o PSDB.

O partido nega ter cedido as imagens. Em nota, Aécio disse que o ato do dia 15 é "um movimento da sociedade". "Não do PSDB ou de outros partidos. É um movimento legítimo (...) e não faremos de conta que ele não existe", afirmou. "Acredito que militantes, simpatizantes e lideranças do PSDB, como de outras siglas, também irão para as ruas, como cidadãos, participar do ato que, esperamos, ocorra nos limites da lei e da democracia".

Leia aqui a reportagem de Daniela Lima sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247