Cardozo diz que Dilma não será ‘rainha da Inglaterra’

Ministro da Advocacia-Geral da União disse que a ida do ex-presidente Lula para a Casa Civil não tornará "em hipótese alguma" a presidente Dilma Rousseff em uma espécie de rainha da Inglaterra; "Hipótese alguma [Dilma virar uma rainha da Inglaterra]. Ela é presidente eleita, tem equipe de ministro e conta agora com um ministro que tem experiência e reconhecimento internacional e que nenhum governo pode prescindir", disse José Eduardo Cardozo

Ministro da Advocacia-Geral da União disse que a ida do ex-presidente Lula para a Casa Civil não tornará "em hipótese alguma" a presidente Dilma Rousseff em uma espécie de rainha da Inglaterra; "Hipótese alguma [Dilma virar uma rainha da Inglaterra]. Ela é presidente eleita, tem equipe de ministro e conta agora com um ministro que tem experiência e reconhecimento internacional e que nenhum governo pode prescindir", disse José Eduardo Cardozo
Ministro da Advocacia-Geral da União disse que a ida do ex-presidente Lula para a Casa Civil não tornará "em hipótese alguma" a presidente Dilma Rousseff em uma espécie de rainha da Inglaterra; "Hipótese alguma [Dilma virar uma rainha da Inglaterra]. Ela é presidente eleita, tem equipe de ministro e conta agora com um ministro que tem experiência e reconhecimento internacional e que nenhum governo pode prescindir", disse José Eduardo Cardozo (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo, disse que a ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil não implica "em hipótese alguma" no fato da presidente Dilma Rousseff se tornar uma espécie de rainha da Inglaterra. Ele também voltou a negar que a ida de Lula para o ministério vise blindá-lo das investigações da operação Lava Jato.

"Hipótese alguma [Dilma virar rainha da Inglaterra]. Ela é presidente eleita, tem equipe de ministro e conta agora com um ministro que tem experiência e reconhecimento internacional e que nenhum governo pode prescindir", disse Cardozo.

Ele também criticou a gritaria da oposição qe alega que a ida de Lula para o ministério tem como objetivo fazer com que ele tenha foto privilegiado, passando a ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal e não mais pelo juiz federal do Paraná Sérgio Moro.

"'Acho que esse argumento que setores oposicionistas vêm utilizado é muito ruim porque não foi essa razão pela qual ele irá compor o governo e mesmo que por ventura você tem deslocamento de foro e imaginar que a Justiça deixa de existir, que a investigação se paralisa porque o Supremo vai apreciar é a depreciação da Suprema Corte. Esse argumento chega a incomodar quem sabe que o Supremo é uma Corte de excelência", observou.

Cardozo, que deixou o ministério da Justiça para ocupar a AGU há cerca de duas semanas, disse, ainda, que "não é porque alguém vai ser julgado aqui e não lá que a justiça não será feita". Para ele, não existem empecilhos jurídicos para que Lula assuma o ministério.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247