CCJ dá aval para seguir tramitação de PEC de condução coercitivas a CPIs

PEC especifica que as CPIs deverão assegurar o direito ao silêncio e à não autoincriminação das pessoas a serem ouvidas. Mas essas pessoas poderão ser conduzidas de maneira coercitiva caso não compareçam. A ideia é evitar os pedidos de habeas corpus ao STF para o não comparecimento

Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados (Foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Conjur - A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara deu aval para que siga a tramitação de uma Proposta de Emenda à Constituição que permite a condução de coercitiva de testemunhas, investigados e acusados a Comissões Parlamentares de Inquérito. 

A PEC especifica que as CPIs deverão assegurar o direito ao silêncio e à não autoincriminação das pessoas a serem ouvidas. Mas essas pessoas poderão ser conduzidas de maneira coercitiva caso não compareçam. A ideia é evitar os pedidos de habeas corpus ao Supremo Tribunal Federal para o não comparecimento.

A proposta é de autoria do deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), e recebeu parecer favorável do deputado Sanderson (PSL-RS). 

A PEC será analisada agora em uma comissão especial, a ser criada. Se aprovada, ainda passará por dois turnos de votação no Plenário da Câmara antes de ser enviada ao Senado. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247