Centrão quer colocar aliado de Cunha no lugar de Imbassahy

Após garantirem a permanência de Michel Temer no Planalto ao apoiar o arquivamento da a denúncia de corrupção passiva contra o peemedebista pela Câmara, os partidos do chamado "centrão' estão apresentando a fatura ao peemedebista e pressionam pela saída do ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy (PSDB-BA); em seu lugar, assumiria o deputado e líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), homem de confiança do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba no âmbito da Lava Jato; Moura responde a vários processos no Supremo Tribunal Federal (STF), incluindo um por tentativa de homicídio

Após garantirem a permanência de Michel Temer no Planalto ao apoiar o arquivamento da a denúncia de corrupção passiva contra o peemedebista pela Câmara, os partidos do chamado "centrão' estão apresentando a fatura ao peemedebista e pressionam pela saída do ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy (PSDB-BA); em seu lugar, assumiria o deputado e líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), homem de confiança do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba no âmbito da Lava Jato; Moura responde a vários processos no Supremo Tribunal Federal (STF), incluindo um por tentativa de homicídio
Após garantirem a permanência de Michel Temer no Planalto ao apoiar o arquivamento da a denúncia de corrupção passiva contra o peemedebista pela Câmara, os partidos do chamado "centrão' estão apresentando a fatura ao peemedebista e pressionam pela saída do ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy (PSDB-BA); em seu lugar, assumiria o deputado e líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), homem de confiança do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba no âmbito da Lava Jato; Moura responde a vários processos no Supremo Tribunal Federal (STF), incluindo um por tentativa de homicídio (Foto: Paulo Emílio)

247 - Após garantirem a permanência de Michel Temer no Planalto ao apoiar o arquivamento da a denúncia de corrupção passiva contra o peemedebista pela Câmara, os partidos do chamado "centrão' agora querem ampliar o seu espaço no governo e pressionam pela saída do ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy (PSDB-BA). Em seu lugar, assumiria o deputado e líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), homem de confiança do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso em Curitiba no âmbito da Lava Jato. Moura responde a vários processos no Supremo Tribunal Federal (STF), incluindo um por tentativa de homicídio.

No processo por tentativa de homicídio, o ex-prefeito de Pirambu Juarez Batista dos Santos= acusou Moura de armar uma emboscada contra ele que resultou em um vigilante ferido. Moura nega a acusação. O parlamentar também é réu em outras ações no STF. Moura é acusado de continuar usufruindo de recursos do poder público municipal após ter saído do cargo de prefeito de Pirambu. Segundo a denúncia, até mesmo compras de supermercado eram fetos com recursos do tesouro municipal.

O parlamentar também é réu em dois inquéritos da Lava Jato. Moura é acusado de, juntamente com Cunha, de achacar e extorquir empresas por meio de medidas adotadas na Câmara.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247