Certos do desembarque do PSDB, aliados pressionam Temer a desalojar tucanos

Com a derrota do texto da reforma trabalhista em comissão do Senado, a relação entre a base de Temer e o PSDB azedou de vez; siglas que apoiam o Planalto pressionam Temer a desalojar os tucanos dos ministérios antes que eles deixem formalmente a base aliada; esses partidos argumentam que o rompimento do PSDB é apenas uma questão de tempo; dizem que, se antecipasse o gesto, Temer poderia privilegiar com mais cargos no governo siglas que vão atuar para barrar a denúncia de Rodrigo Janot na Câmara

(Brasília - DF 25/11/2016) Presidente Michel Temer recebe lideranças do PSDB para almoço no Palácio da Alvorada. Foto: Beto Barata/PR
(Brasília - DF 25/11/2016) Presidente Michel Temer recebe lideranças do PSDB para almoço no Palácio da Alvorada. Foto: Beto Barata/PR (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A base de Michel Temer pressiona o peemedebista a desalojar o PSDB dos ministérios.

A derrota da reforma trabalhista em comissão do Senado azedou de vez a relação entre a base de Temer e o PSDB. Siglas que apoiam o Planalto pressionam Temer a desalojar os tucanos dos ministérios antes que eles deixem formalmente a base aliada.

Esses partidos argumentam que o rompimento do PSDB é apenas uma questão de tempo. Dizem que, se antecipasse o gesto, Temer poderia privilegiar com mais cargos no governo siglas que vão atuar para barrar a denúncia de Rodrigo Janot na Câmara.

 O voto do senador Eduardo Amorim (PSDB-SE) contra a nova legislação trabalhista é apontado por esses partidos como a prova de que os tucanos mentem ao dizer que manteriam o apoio às reformas mesmo deixando a base.

Integrantes do PSDB reconhecem que o clima é de desconfiança, mas avisam que, se esticarem demais a corda, os tucanos não pensarão duas vezes em deixar os ministérios, mesmo que seja um voo solo.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247