CNI faz debate com pré-candidatos, mas exclui o principal: Lula, o líder

Sabatina na próxima quarta-feira 4 ouvirá representantes de seis partidos, sem o PT, que tem o nome líder das pesquisas, inclusive da própria entidade patronal, o ex-presidente Lula; na véspera, o 11º Encontro Nacional da Indústria (Enai) terá Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso na cerimônia de abertura

CNI faz debate com pré-candidatos, mas exclui o principal: Lula, o líder
CNI faz debate com pré-candidatos, mas exclui o principal: Lula, o líder (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Rede Brasil Atual - A Confederação Nacional da Indústria (CNI) promove nesta quarta-feira (4), a partir das 9h, em Brasília, um evento com seis pré-candidatos à Presidência da República. Não participa nenhum representante do PT, cujo pré-candidato anunciado é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder nas pesquisas de opinião, inclusive da própria entidade patronal. Na véspera, o 11º Encontro Nacional da Indústria (Enai) terá Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso na cerimônia de abertura.

O "Diálogo da Indústria com os presidenciáveis", na quarta, começa com Geraldo Alckmin (PSDB). Às 10h, é a vez de Marina Silva (Rede) e uma hora depois, Jair Bolsonaro (PSL). As falas recomeçam às 13h, com Henrique Meirelles (MDB) e continuam com Ciro Gomes (PDT) e, por fim, Álvaro Dias (Podemos). Assim, candidatos identificados com o campo progressista, como Guilherme Boulos (Psol) e Manuela D´Ávila (PCdoB), também foram preteridos.

Segundo a CNI, cada um terá precisos 51 minutos para apresentar propostas e responder perguntas dos empresários – 2 mil deles devem participar do encontro. Na sequência, cada pré-candidato dará entrevista coletiva na sala de imprensa.

"Além de conhecer os planos de governo dos pré-candidatos, vamos apresentar a eles diversas propostas, com iniciativas que o setor industrial considera fundamentais para romper obstáculos ao crescimento da economia, estimular o amadurecimento institucional e melhorar a qualidade de vida da população", diz o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, que falará na abertura, amanhã, ao lado de Temer. A entidade foi defensora e em boa medida inspiradora da "reforma" da legislação trabalhista.

A confederação informa que apresentará aos candidatos 43 documentos com as sugestões do setor, com base no "Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022". Segundo a CNI, o mapa estabelece "meta claras e ações factíveis em 11 fatores-chaves, entre os quais estão a segurança jurídica, a educação, a infraestrutura, o ambiente macroeconômico, a eficiência do estado, a governança e a inovação".

Procurada mais de uma vez, por meio de sua assessoria, a entidade não se manifestou sobre a não inclusão de um representante do partido do ex-presidente. A pergunta encaminhada à assessoria era no sentido de saber se o nome de Lula ou alguém do PT havia sido considerado para figurar entre os convidados do evento.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247