CNJ vai julgar dois processos contra Moro

Presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, incluiu na pauta de julgamentos desta terça-feira, 6, dois processos disciplinares contra o juiz federal Sergio Moro; representação feita pelos deputados Paulo Teixeira (PT-SP), Wadih Damous (PT-RJ) e Paulo Pimenta (PT-RS) aponta inúmeras ilegalidades praticadas pelo magistrado na condução de processo contra o ex-presidente Lula, como divulgação de conversas telefônicas entre o ex-presidente Lula e a presidente deposta Dilma Rousseff interceptadas pela Lava Jato

Presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, incluiu na pauta de julgamentos desta terça-feira, 6, dois processos disciplinares contra o juiz federal Sergio Moro; representação feita pelos deputados Paulo Teixeira (PT-SP), Wadih Damous (PT-RJ) e Paulo Pimenta (PT-RS) aponta inúmeras ilegalidades praticadas pelo magistrado na condução de processo contra o ex-presidente Lula, como divulgação de conversas telefônicas entre o ex-presidente Lula e a presidente deposta Dilma Rousseff interceptadas pela Lava Jato
Presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, incluiu na pauta de julgamentos desta terça-feira, 6, dois processos disciplinares contra o juiz federal Sergio Moro; representação feita pelos deputados Paulo Teixeira (PT-SP), Wadih Damous (PT-RJ) e Paulo Pimenta (PT-RS) aponta inúmeras ilegalidades praticadas pelo magistrado na condução de processo contra o ex-presidente Lula, como divulgação de conversas telefônicas entre o ex-presidente Lula e a presidente deposta Dilma Rousseff interceptadas pela Lava Jato (Foto: Aquiles Lins)

247 - A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, incluiu na pauta de julgamentos desta terça-feira, 6, dois processos disciplinares contra o juiz federal Sergio Moro, relacionados à divulgação de conversas telefônicas entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente deposta Dilma Rousseff interceptadas pela Lava Jato.

Aliados de Dilma e Lula no Congresso, entre eles a presidente nacional do PT e senadora Gleisi Hoffmann, denunciaram Moro ao CNJ, acusando-o de vazamento. O juiz tornou os grampos públicos pouco antes na véspera da cerimônia que empossaria Lula como chefe da Casa Civil do governo Dilma.

A representação feita no Conselho Nacional de Justiça pelos deputados do PT Paulo Teixeira (SP), Wadih Damous (RJ) e Paulo Pimenta (RJ) contra o juiz Sérgio Moro será analisada hoje pelo CNJ. Os parlamentares apontam inúmeras ilegalidades praticadas pelo magistrado na condução de processo contra o ex-presidente Lula, como a divulgação dos áudios da conversa com a então presidenta Dilma Rousseff. É o item 42 da pauta de julgamentos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247