Com Torquato, Temer quer mais influência sobre a Polícia Federal

Colocando Torquato Jardim à frente do Ministério da Justiça, Michel Temer tem como objetivo aumentar a influência do governo sobre a Polícia Federal. "Não está descartada nem mesmo a substituição do diretor-geral da PF, Leandro Daiello", disse eu seu blog no G1, o jornalista Gerson Camarotti; "Serraglio era considerado um ministro fraco, mas que, por isso mesmo, não tinha influência no comando da PF e não conseguia interferir nos rumos da Lava Jato. O Planalto optou por Torquato por considerá-lo com personalidade suficiente para retomar o controle da PF", disse o jornalista 

Colocando Torquato Jardim à frente do Ministério da Justiça, Michel Temer tem como objetivo aumentar a influência do governo sobre a Polícia Federal. "Não está descartada nem mesmo a substituição do diretor-geral da PF, Leandro Daiello", disse eu seu blog no G1, o jornalista Gerson Camarotti; "Serraglio era considerado um ministro fraco, mas que, por isso mesmo, não tinha influência no comando da PF e não conseguia interferir nos rumos da Lava Jato. O Planalto optou por Torquato por considerá-lo com personalidade suficiente para retomar o controle da PF", disse o jornalista 
Colocando Torquato Jardim à frente do Ministério da Justiça, Michel Temer tem como objetivo aumentar a influência do governo sobre a Polícia Federal. "Não está descartada nem mesmo a substituição do diretor-geral da PF, Leandro Daiello", disse eu seu blog no G1, o jornalista Gerson Camarotti; "Serraglio era considerado um ministro fraco, mas que, por isso mesmo, não tinha influência no comando da PF e não conseguia interferir nos rumos da Lava Jato. O Planalto optou por Torquato por considerá-lo com personalidade suficiente para retomar o controle da PF", disse o jornalista  (Foto: José Barbacena)

247 - Colocando Torquato Jardim à frente do Ministério da Justiça, Michel Temer tem como objetivo aumentar a influência do governo sobre a Polícia Federal. "Não está descartada nem mesmo a substituição do diretor-geral da PF, Leandro Daiello", disse eu seu blog no G1, o jornalista Gerson Camarotti.

"Serraglio era considerado um ministro fraco, mas que, por isso mesmo, não tinha influência no comando da PF e não conseguia interferir nos rumos da Lava Jato. O Planalto optou por Torquato por considerá-lo com personalidade suficiente para retomar o controle da PF", diz Camarotti.

Osmar Serraglio sai da Justiça e assume o Ministério da Transparência. Torquato é considerado um nome com boas interlocução com tribunais superiores, inclusive no TSE, que jugará na próxima semana a cassação da chapa Dilma-Temer. Torquato já foi ministro do TSE.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247