Com Weintraub, 'olavistas' voltam a ganhar poder e cargos no MEC

O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou a fortalecer o grupo dos seguidores do astrólogo Olavo de Carvalho, guru do presidente Jair Bolsonaro, que havia sido enfraquecido durante a gestão de apenas três meses do ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez; retorno dos "olavistas" se dá, especialmente, para cargos de caráter técnico

Com Weintraub, 'olavistas' voltam a ganhar poder e cargos no MEC
Com Weintraub, 'olavistas' voltam a ganhar poder e cargos no MEC

247 - O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou a fortalecer o grupo dos seguidores do astrólogo Olavo de Carvalho, guru do presidente Jair Bolsonaro, que havia sido enfraquecido durante a gestão de apenas três meses do ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez. O retorno dos "olavistas" se dá, especialmente, para cargos de caráter técnico.

De acordo om reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o ex-professor de História do Instituto Federal de Brasília e crítico de Paulo Freire – considerado um dos principais educadores da atualidade, Eduardo Sallenavi, deve assumir a Diretoria de Acompanhamento das Políticas da Educação Básica. Até agora, Sallenavi ocupava um cargo sem importância no MEC após Vélez ter realizado um expurgo dos olavistas para tentar reduzir o viés ideológico na pasta.

Até então, quem ocupava o cargo era Tânia Mara de Moraes, que possuía um perfil técnico. Tânia, que foi demitida nesta terça-feira (16), Tânia era diretora da Escola Técnica (Etec) de Jacareí, no interior de São Paulo, integrava a equipe do Centro Paula Souza, que administra as escolas técnicas e faculdades de tecnologia em São Paulo.

Ainda segundo a reportagem, a ideia é que os cargos de primeiro escalão do MEC sejam preenchidos por economistas e administradores alinhados com a ideologia do governo Jair Bolsonaro. Os cargos mais técnicos, porém, seriam direcionados para o grupo de Olavo de Carvalho.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247