CRE aprova repúdio à possibilidade de a Venezuela presidir Mercosul

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, presidida por Aloysio Nunes (PSDB-SP), aprovou nesta quinta-feira, 7, voto de repúdio diante da possibilidade de transmissão da presidência pro tempore do Mercosul à Venezuela; "O presidente Nicolás Maduro já deu amplas demonstrações de que não governa democraticamente. Um governo que mantém presos políticos, persegue opositores, desrespeita o legislativo e tutela o poder judiciário não pode presidir o Mercosul", disse a senadora Ana Amélia (PP-RS), autoria do requerimento; matéria segue agora para votação do plenário do Senado

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, presidida por Aloysio Nunes (PSDB-SP), aprovou nesta quinta-feira, 7, voto de repúdio diante da possibilidade de transmissão da presidência pro tempore do Mercosul à Venezuela; "O presidente Nicolás Maduro já deu amplas demonstrações de que não governa democraticamente. Um governo que mantém presos políticos, persegue opositores, desrespeita o legislativo e tutela o poder judiciário não pode presidir o Mercosul", disse a senadora Ana Amélia (PP-RS), autoria do requerimento; matéria segue agora para votação do plenário do Senado
Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, presidida por Aloysio Nunes (PSDB-SP), aprovou nesta quinta-feira, 7, voto de repúdio diante da possibilidade de transmissão da presidência pro tempore do Mercosul à Venezuela; "O presidente Nicolás Maduro já deu amplas demonstrações de que não governa democraticamente. Um governo que mantém presos políticos, persegue opositores, desrespeita o legislativo e tutela o poder judiciário não pode presidir o Mercosul", disse a senadora Ana Amélia (PP-RS), autoria do requerimento; matéria segue agora para votação do plenário do Senado (Foto: Aquiles Lins)

247 - A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado aprovou, nesta quinta-feira (7), voto de repúdio diante da possibilidade de transmissão da presidência pro tempore do Mercosul à Venezuela. O presidente do colegiado é o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

Atualmente, a presidência do Mercosul é exercida pelo Uruguai, que deve passá-la este mês para a Venezuela - segundo o sistema de rodízio. O Paraguai é contra que Caracas assuma a condução do bloco e defende a suspensão da Venezuela com base no Protocolo de Ushuaia, que prevê esta sanção em casos de ruptura da ordem democrática. Está marcada para a próxima semana uma reunião entre chanceleres do bloco para discutir a situação da Venezuela à luz do protocolo.

"O presidente Nicolás Maduro já deu amplas demonstrações de que não governa democraticamente. Um governo que mantém presos políticos, persegue opositores, desrespeita o legislativo e tutela o poder judiciário não pode presidir o Mercosul", registrou a senadora Ana Amélia (PP-RS), autora do requerimento.

A matéria segue agora para votação do plenário do Senado.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247