Defesa de Dilma acusa Cerveró de fraude em Pasadena

A defesa da presidente deposta Dilma Rousseff acusou o ex-diretor de Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, e empregados da petrolífera de formarem "conluio fraudulento com a Astra Oil ", agindo "de modo deliberado" para esconder da diretoria e do conselho de administração "disposições contratuais que tornavam o negócio lesivo" aos interesses da estatal; documento entregue ao TCU afirma que a diretoria foi induzida a erro na questão de Pasadena devido a relatório de Cerveró e seus cúmplices

Defesa de Dilma acusa Cerveró de fraude em Pasadena
Defesa de Dilma acusa Cerveró de fraude em Pasadena

247 - A defesa de Dilma Rousseff no processo sobre a compra de Pasadena no Tribunal de Contas da União (TCU) acusou o ex-diretor de Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, e empregados da petrolífera de formarem "conluio fraudulento com a Astra Oil ", agindo "de modo deliberado" para esconder da diretoria e do conselho de administração "disposições contratuais que tornavam o negócio lesivo" aos interesses da estatal.

A defesa entregue em 29 de dezembro ao TCU diz que o conselho de administração da Petrobras foi induzido a erro, pois aprovou a compra com base em resumo "que não contemplava a outorga de opção de venda".

Advogados de Dilma refutaram o bloqueio de bens dela e de outros cinco ex-integrantes do conselho de administração da estatal, decretados no âmbito administrativo -que foram responsabilizados por prejuízo de ao menos US$ 580,4 milhões com a aquisição de Pasadena pela Petrobras.

A defesa, assinada por Walfrido Jorge Warde Júnior e José Eduardo Cardozo (que foi ministro da Justiça no governo Dilma) tem 74 páginas e foi obtida pelo Valor.

O documento já está na Secretaria de Controle Externo da Administração Direta, no Rio, área do TCU que fiscaliza a Petrobras. Os auditores iniciarão a análise dos argumentos na semana que vem. Mas o relatório final só deve ser enviado ao relator do caso, ministro Vital do Rêgo, em abril.

Baseada em resumo executivo preparado pela área internacional, então comandada por Cerveró, o conselho de administração da Petrobras aprovou a aquisição de 50% da refinaria de Pasadena por US$ 359 milhões. A operação, segundo a defesa de Dilma, teve o valor avaliado como "justo" em parecer elaborado pelo Citigroup.

As informações são de reportagem de no Valor.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247