Defesa de Lula diz que aluguéis foram pagos em dinheiro

O pagamento do aluguel do apartamento vizinho ao do ex-presidente Lula, em São Bernardo do Campo (SP), foi feito em dinheiro entre 2011 e 2015, segundo a defesa do petista; os defensores de Lula dizem acreditar, com base na quebra de sigilo bancário do proprietário do imóvel —que apontou R$ 1,3 milhão em depósitos em dinheiro entre 2011 e 2015— que parte dessa quantia refere-se aos cerca de R$ 189 mil que eles acreditam ter sido pagos pela ex-primeira-dama Marisa Letícia pela locação no período

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva concede entrevista à Reuters na cidade de Penedo, no Alagoas 23/08/2017 REUTERS/Paulo Whitaker
O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva concede entrevista à Reuters na cidade de Penedo, no Alagoas 23/08/2017 REUTERS/Paulo Whitaker (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Ponto mais polêmico do segundo dos três processos em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é réu na Operação Lava Jato, o pagamento do aluguel do apartamento vizinho ao dele em São Bernardo do Campo (SP) foi feito em dinheiro vivo entre 2011 e 2015, segundo a defesa do petista. Essa é a primeira vez que os defensores afirmam que o pagamento foi feito em espécie. O valor pago pelo aluguel no período é de cerca de R$ 189 mil.

"A única conclusão possível, a conclusão inequívoca é de que o pagamento foi feito em dinheiro", disse, em entrevista ao UOL, na quinta-feira (19), o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula.

De acordo com a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) do Paraná, apresentada em dezembro de 2016, houve desvios de R$ 75,4 milhões em oito contratos entre a empreiteira Odebrecht e a Petrobras.

A advogada Valeska Teixeira Martins, que junto de Zanin, lidera a equipe de defensores de Lula, diz ter provado a origem contábil. "Provamos a movimentação financeira, recibo de aluguel, apresentamos o carnê-leão".

Os defensores de Lula dizem acreditar, com base na quebra de sigilo bancário do engenheiro que apontou R$ 1,3 milhão em depósitos em dinheiro entre 2011 e 2015, que parte dessa quantia refere-se aos cerca de R$ 189 mil que eles acreditam ter sido pagos por Marisa pela locação no período. Não há como a defesa ter certeza absoluta essa afirmação.

As informações são de reportagem de Nathan Lopes no UOL.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247