Delação contra Temer pode afetar governabilidade, avalia Planalto

A delação de Sérgio Machado envolvendo Michel Temer foi classificada pelo Palácio do Planalto como "muito ruim para a governabilidade", principalmente para um governo interino; o receio é que novas denúncias causem impacto negativo na imagem da nova gestão e acabem com a "lua de mel" da administração peemedebista no Congresso Nacional; a divulgação do conteúdo da delação atrapalhou os planos do Planalto, que esperava ter um dia de notícias positivas com o anúncio da proposta de criar um teto para os gastos públicos da União; auxiliares já aconselham Temer a suspender o pronunciamento que fará na TV na sexta (17)

A delação de Sérgio Machado envolvendo Michel Temer foi classificada pelo Palácio do Planalto como "muito ruim para a governabilidade", principalmente para um governo interino; o receio é que novas denúncias causem impacto negativo na imagem da nova gestão e acabem com a "lua de mel" da administração peemedebista no Congresso Nacional; a divulgação do conteúdo da delação atrapalhou os planos do Planalto, que esperava ter um dia de notícias positivas com o anúncio da proposta de criar um teto para os gastos públicos da União; auxiliares já aconselham Temer a suspender o pronunciamento que fará na TV na sexta (17)
A delação de Sérgio Machado envolvendo Michel Temer foi classificada pelo Palácio do Planalto como "muito ruim para a governabilidade", principalmente para um governo interino; o receio é que novas denúncias causem impacto negativo na imagem da nova gestão e acabem com a "lua de mel" da administração peemedebista no Congresso Nacional; a divulgação do conteúdo da delação atrapalhou os planos do Planalto, que esperava ter um dia de notícias positivas com o anúncio da proposta de criar um teto para os gastos públicos da União; auxiliares já aconselham Temer a suspender o pronunciamento que fará na TV na sexta (17) (Foto: Valter Lima)

247 - A delação de Sérgio Machado envolvendo Michel Temer foi classificada pelo Palácio do Planalto como "muito ruim para a governabilidade", principalmente para um governo interino.

O receio é que novas denúncias causem impacto negativo na imagem da nova gestão e acabem com a "lua de mel" da administração peemedebista no Congresso Nacional.

A divulgação do conteúdo da delação de Machado atrapalhou os planos do Palácio do Planalto, que esperava ter um dia de notícias positivas com o anúncio da proposta de criar um teto para os gastos públicos da União.

Com receio de que a informação estimule panelaços, o peemedebista foi aconselhada a excluir de vez a possibilidade de convocar na sexta-feira (17) cadeia de televisão e rádio para pronunciamento à nação, o que era avaliado até então.

Em conversa com sua equipe, Temer afirmou ainda que não fez nenhum pedido de doação diretamente a Machado, lembrando que ele era ligado ao PMDB do Senado.

Leia mais aqui

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247