Delator diz ter pedido intermediação de Vaccarezza

Empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, disse em seu depoimento ter procurado o ex-deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para evitar que uma obra fosse incluída em uma relação do tipo "lista suja" elaborada pela Câmara dos Deputados em 2010; na ocasião, o petista exercia a função de líder do governo Lula na Câmara; ex-parlamentar nega ter encontrado o empresário

Empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, disse em seu depoimento ter procurado o ex-deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para evitar que uma obra fosse incluída em uma relação do tipo "lista suja" elaborada pela Câmara dos Deputados em 2010; na ocasião, o petista exercia a função de líder do governo Lula na Câmara; ex-parlamentar nega ter encontrado o empresário
Empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, disse em seu depoimento ter procurado o ex-deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para evitar que uma obra fosse incluída em uma relação do tipo "lista suja" elaborada pela Câmara dos Deputados em 2010; na ocasião, o petista exercia a função de líder do governo Lula na Câmara; ex-parlamentar nega ter encontrado o empresário (Foto: Paulo Emílio)

247 - O empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, disse em seu depoimento de delação premiada à Justiça Federal no âmbito da Operação Lava Jato ter procurado o ex-deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para evitar que uma obra fosse incluída em uma relação do tipo "lista suja" elaborada pela Câmara dos Deputados em 2010. Na ocasião, Vaccarezza exercia a função de líder do governo Lula na Câmara.

O temor do empresário era que a obra de modernização e ampliação da Repar, no Paraná, orçada em R$ 5,4 bilhões, fosse incluída na lista do Comitê de Obras com Irregularidades (COI), o que acabaria por travar repasse de recursos da União para o projeto. A lista é elaborada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e os parlamentares podem optar por manter ou excluir as obras na lista. Na época, a UTC integrava o consórcio juntamente com a Odebrecht e OAS, que também são alvos das investigações da Operação Lava Jato.

Segundo o TCU, haviam sido identificadas falhas como deficiências no projeto básico, além de sobrepreço e orçamento incompleto ou desatualizado, dentre outras irregularidades. Segundo ele, a interrupção das obras resultaria em prejuízos significativos para empreiteira para impedir essa situação, sendo esta a motivação que teriam levado a empresa a procurar Vaccarezza. No final do ano, a obra da Repar foi excluída da lista aprovada pela Câmara.

Pessoa, porém, não soube dizer se Vaccarezza teria interferido no processo. Ele também afirmou que o ex-parlamentar nunca lhe sugeriu algum tipo de ação neste sentido. Mas o empreiteiro destaca que naquele mesmo ano, ter sido procurado por Vaccarezza em busca de contribuições para a campanha eleitoral. O ex-deputado nega ter se encontrado com o empresário para tratar da exclusão da obra do relatório do COI.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247