Depoimento de Temer sobre propina no decreto dos portos será por escrito

O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito; defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada; Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto; no início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito

O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito; defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada; Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto; no início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito
O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito; defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada; Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto; no início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito (Foto: Aquiles Lins)

247 - O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito. 

A defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada.

Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto. O inquérito foi aberto por Barroso a partir das delações premiadas de executivos do grupo J&F, a pedido do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. No início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito. 

As informações são do jornal Valor Econômico. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247