Depoimento de Temer sobre propina no decreto dos portos será por escrito

O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito; defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada; Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto; no início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito

O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito; defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada; Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto; no início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito
O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito; defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada; Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto; no início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O depoimento que Michel Temer prestará na investigação que apura recebimento de propina na edição de Medida Provisória relacionada aos portos será por escrito. 

A defesa do peemedebista pediu que o relator do processo, ministro Luís Roberto Barroso, determine um prazo para que a manifestação do Palácio do Planalto seja enviada.

Temer é suspeito de favorecer a Rodrimar ao editar o decreto. O inquérito foi aberto por Barroso a partir das delações premiadas de executivos do grupo J&F, a pedido do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. No início do mês, a sucessora de Janot, Raquel Dodge, pediu ao STF a oitiva de Temer e de outras sete pessoas investigadas no caso - como executivos da Rodrimar e da JBS, além do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, alvo do mesmo inquérito. 

As informações são do jornal Valor Econômico. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247