Dilma assume linha de frente para barrar golpe

A presidente Dilma Rousseff decidiu assumir a linha de frente da estratégia do Palácio do Planalto para barrar o processo de impeachment no plenário da Câmara; segundo o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, a petista já se reuniu com líderes partidários nesta quarta (13) e fará novos encontros com parlamentares "que querem a opinião e os argumentos da presidente"; "A presidente está procurando pessoas que querem ouvir a sua opinião e seus argumentos. E está buscando conversar com grupos de deputados federais. Nós vamos continuar esse trabalho intensivamente até o domingo", disse Berzoini; estratégia é aumentar a dissidência em legendas como PP, PSD e PMDB e evitar que o PR feche questão a favor do impeachment

A presidente Dilma Rousseff decidiu assumir a linha de frente da estratégia do Palácio do Planalto para barrar o processo de impeachment no plenário da Câmara; segundo o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, a petista já se reuniu com líderes partidários nesta quarta (13) e fará novos encontros com parlamentares "que querem a opinião e os argumentos da presidente"; "A presidente está procurando pessoas que querem ouvir a sua opinião e seus argumentos. E está buscando conversar com grupos de deputados federais. Nós vamos continuar esse trabalho intensivamente até o domingo", disse Berzoini; estratégia é aumentar a dissidência em legendas como PP, PSD e PMDB e evitar que o PR feche questão a favor do impeachment
A presidente Dilma Rousseff decidiu assumir a linha de frente da estratégia do Palácio do Planalto para barrar o processo de impeachment no plenário da Câmara; segundo o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, a petista já se reuniu com líderes partidários nesta quarta (13) e fará novos encontros com parlamentares "que querem a opinião e os argumentos da presidente"; "A presidente está procurando pessoas que querem ouvir a sua opinião e seus argumentos. E está buscando conversar com grupos de deputados federais. Nós vamos continuar esse trabalho intensivamente até o domingo", disse Berzoini; estratégia é aumentar a dissidência em legendas como PP, PSD e PMDB e evitar que o PR feche questão a favor do impeachment (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente Dilma Rousseff decidiu assumir a linha de frente da estratégia do Palácio do Planalto para barrar o processo de impeachment no plenário da Câmara dos Deputados. A intenção é ela receber deputados federais de todos os partidos da base aliada, sobretudo os indecisos ou que têm possibilidade de mudança de posição na reta final.

Segundo o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, a petista já se reuniu com líderes partidários nesta quarta-feira (13) e fará novos encontros com parlamentares "que querem a opinião e os argumentos da presidente".

A estratégia do Palácio do Planalto é aumentar a dissidência em legendas como PP, PSD e PMDB e evitar que o PR feche questão a favor do impeachment.

"A presidente está procurando pessoas que querem ouvir a sua opinião e seus argumentos. E está buscando conversar com grupos de deputados federais. Nós vamos continuar esse trabalho intensivamente até o domingo", disse Berzoini.

Segundo ele, os três ministros do PMDB que detêm mandatos na Câmara dos Deputados –Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), Marcelo Castro (Saúde) e Mauro Lopes (Aviação Civil)– se licenciarão nesta quinta-feira (14) para participar da votação.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email