Dilma fará denúncia internacional da segunda fase do golpe

Depois do sucesso das recentes palestras de Dilma Rousseff no exterior —em que foi recebida com tratamento de chefe de Estado pela população e muitos acadêmicos e lotou auditórios na Europa e nos Estados Unidos—, a petista se prepara para mais uma jornada no exterior; desta vez, Dilma irá denunciar a segunda fase do golpe: a caçada ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para impedir que ele seja candidato em 2018; líder absoluto em todos os cenários para as próximas eleições presidenciais, Lula vem sendo alvo de uma campanha para impedir sua candidatura, tocada em grande medida pelo mesmo grupo que articulou a derrubada de Dilma

Depois do sucesso das recentes palestras de Dilma Rousseff no exterior —em que foi recebida com tratamento de chefe de Estado pela população e muitos acadêmicos e lotou auditórios na Europa e nos Estados Unidos—, a petista se prepara para mais uma jornada no exterior; desta vez, Dilma irá denunciar a segunda fase do golpe: a caçada ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para impedir que ele seja candidato em 2018; líder absoluto em todos os cenários para as próximas eleições presidenciais, Lula vem sendo alvo de uma campanha para impedir sua candidatura, tocada em grande medida pelo mesmo grupo que articulou a derrubada de Dilma
Depois do sucesso das recentes palestras de Dilma Rousseff no exterior —em que foi recebida com tratamento de chefe de Estado pela população e muitos acadêmicos e lotou auditórios na Europa e nos Estados Unidos—, a petista se prepara para mais uma jornada no exterior; desta vez, Dilma irá denunciar a segunda fase do golpe: a caçada ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para impedir que ele seja candidato em 2018; líder absoluto em todos os cenários para as próximas eleições presidenciais, Lula vem sendo alvo de uma campanha para impedir sua candidatura, tocada em grande medida pelo mesmo grupo que articulou a derrubada de Dilma (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A presidente deposta Dilma Rousseff fará uma denúncia pública, no exterior, da segunda fase do golpe: os ataques e a perseguição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de impedir que ele seja candidato nas eleições de 2018.

Líder absoluto em todos os cenários para as próximas eleições presidenciais, Lula vem sendo alvo de uma campanha para impedir sua candidatura, tocada em grande medida pelo mesmo grupo que articulou a derrubada de Dilma.

Dilma foi escolhida pela cúpula do PT após o sucesso de suas recente palestra no exterior, onde expôs as falácias e os verdadeiros interesses por trás do processo de impeachment. 

A petista lotou auditórios na Europa e nos Estados Unidos. Em Lisboa, os ingressos para sua apresentação se esgotaram em 20 minutos e a organização do evento precisou instalar um telão no lado de fora do auditório para dar conta do público. 

Conforme as eleições de 2018 se aproximam, Lula vem sendo alvo de ataques mais intensos. Líder absoluto nas pesquisas de intenção de voto, Lula é considerado uma ameaça aos grupos políticos e econômicos que se beneficiam do entreguismo e das reformas de Michel Temer. 

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Mais de Poder

Ao vivo na TV 247 Youtube 247