Dilma: Lula é única força que a extrema-direita teme

Em discurso durante a passagem da caravana de Lula por Palmeira das Missões (RS), a presidente deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, também afirmou que "defender a candidatura de Lula é defender que o Brasil se reencontre consigo mesmo e que o Brasil volte a crescer. É defender que o mundo inteiro volte a respeitar o Brasil. É defender o nosso patrimônio, a Eletrobras, a Petrobras, é defender o pequeno agricultor e as mulheres deste país"; "Defender Lula é defender a luta contra o ódio", continuou; Dilma disse que "este golpe parlamentar e midiático não é, de jeito nenhum, um golpe qualquer. Eles perceberam que a democracia está do nosso lado. A gente ganhou quatro eleições seguidas"

Dilma: Lula é única força que a extrema-direita teme
Dilma: Lula é única força que a extrema-direita teme (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira (22) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é a única força deste país capaz de enfrentar a extrema-direita e os golpistas.

"Lula é a única força que a direita e os golpistas temem, e temem muito. Por isso, defender a candidatura de Lula é defender que o Brasil se reencontre consigo mesmo e que o Brasil volte a crescer. É defender que o mundo inteiro volte a respeitar o Brasil. É defender o nosso patrimônio, a Eletrobras, a Petrobras, é defender o pequeno agricultor e as mulheres deste país", afirmou Dilma, em discurso durante a passagem de Lula por Palmeira das Missões (RS).

Segundo ela, "defender Lula é defender a luta contra o ódio. Com Lula, vamos construir um país que respeite a diversidade, sem pedradas, sem armas escondidas, sem bombas, porque esta é a política da extrema direita. A extrema direita não dialoga, ela mata. Só tem um homem capaz de acabar com o ódio e este homem se chama Luis Inácio Lula da Silva".

"Eles achavam que se chegassem ao poder impediriam que as investigações de corrupção chegassem até eles e os condenassem. Só que não foi preciso muito tempo para aparecessem as malas deles cheias de dinheiro roubado. Malas iam e vinham, até que surgiram as malas que abarrotavam o apartamento de um ministro desse governo ilegítimo", acrescentou.

"Eles achavam que me derrubando, resolveriam os problemas deles. Mas este golpe parlamentar e midiático não é, de jeito nenhum, um golpe qualquer. Eles perceberam que a democracia está do nosso lado. A gente ganhou quatro eleições seguidas. Quando ganhamos em 2014, eles chegaram à seguinte conclusão: pelo voto, este pessoal vai ficar aí e nós nunca vamos poder executar o nosso programa de retrocessos", continuou.

Em seu discurso, Dilma afirmou, ainda, que "o golpe deu errado, é um fracasso, e eles não têm candidato. O único candidato que eles criaram é o candidato do ódio, o candidato que defende o preconceito, é um candidato contra as mulheres". "Não podemos permitir a vitória de um homem que é machista, misógino contra um homem que representa a diversidade do nosso país, que fez o Bolsa Família e entregou para as mulheres, que fez o Minha Casa Minha Vida e entregou as propriedades para as mulheres, que fez a Lei Maria da Penha, contra a violência que se abate sobre as mulheres", continuou.

"Nós tiramos 38 milhões da pobreza. Foi o começo. Agora é a hora da divisão da riqueza, é a hora de entregar terra e casa para a população, é hora da educação de qualidade, é hora da previdência digna", complementou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247