Dilma não vai depor na comissão do impeachment no Senado

Presidente Dilma Rousseff decidiu não depor pessoalmente à comissão do impeachment no Senado na próxima quarta-feira (6) e será representada pelo seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo; em entrevista coletiva nesta tarde, Cardozo afirmou que o processo de impeachment no Senado provou que não houve dolo por parte dela nas irregularidades apontadas pela acusação; "Eu queria provar e nós provamos. Podemos ir ao Supremo no momento certo. Eu quero a absolvição da presidente no Senado. Eu não quero no meu país a pecha de que a Justiça vai corrigir os erros do Senado"

Dilma durante entrevista em Brasília 14/6/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino
Dilma durante entrevista em Brasília 14/6/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Roberta Namour)

247 - A presidente Dilma Rousseff, decidiu não depor pessoalmente à comissão do impeachment no Senado na próxima quarta-feira (6). Ela será representada pelo seu advogado, o ex-ministro José Eduardo Cardozo.

No colegiado, a presidente poderia ser questionada por senadores e por uma das autoras do pedido de impeachment, a advogada Janaína Paschoal.

Em entrevista coletiva nesta tarde, Cardozo afirmou que o processo de impeachment no Senado provou que não houve dolo por parte dela nas irregularidades apontadas pela acusação.

"Eu queria provar e nós provamos", disse. Cardozo voltou a afirmar que pode ir ao Supremo Tribunal Federal questionar a decisão. "Podemos ir ao Supremo no momento certo. Eu quero a absolvição da presidente no Senado. Eu não quero no meu país a pecha de que a Justiça vai corrigir os erros do Senado".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247