Dilma participará da cúpula da Celac no Equador

Presidente embarca nesta terça-feira 26, por volta das 14h, para Quito, capital do Equador, onde participa amanhã da quarta cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac); Dilma terá uma reunião com o presidente equatoriano, Rafael Correa, no início da noite; os dois chefes de Estado devem abordar a integração regional e temas como comércio, investimentos, educação, ciência e tecnologia

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff sanciona o novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação. A proposta aproxima as universidades das empresas (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - A presidenta Dilma Rousseff sanciona o novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação. A proposta aproxima as universidades das empresas (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff embarca hoje (26) para Quito, capital do Equador, onde participa amanhã (27) da quarta cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

Dilma deve partir de Brasília por volta das 14h. Ela terá uma reunião com o presidente equatoriano Rafael Correa no início da noite. Durante o encontro, os dois chefes de Estado devem abordar a integração regional e temas como comércio, investimentos, educação, ciência e tecnologia.

Segundo o subsecretário-geral da América do Sul, Central e do Caribe do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Paulo Estivallet de Mesquita, o Equador tem sido um parceiro brasileiro no combate à imigração ilegal e também na área social. De acordo com o embaixador, há grande interesse equatoriano pelos programas sociais brasileiros e pela experiência do Brasil na redução da desigualdade.

A reunião da Celac, em Quito, também marcará o fim da presidência pro tempore do Equador na entidade. O comando passará agora para a República Dominicana. Segundo o Itamaraty, a cúpula será a oportunidade para que os chefes de Estado e de Governo dos 33 países-membros estabeleçam diretrizes para a continuidade das atividades de articulação política, cooperação setorial e relacionamento externo da Celac.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247