Dilma volta a discutir reforma com Barbosa

De acordo com a coluna Painel, da Folha, a presidente da República e o presidente do STF voltaram a mostrar sintonia ao debater propostas para a reforma política nesta sexta-feira; agrada a ambos, por exemplo, a ideia de uma lei de iniciativa popular para valer já em 2014; primeiro encontro sobre o tema ocorreu em junho (foto)

Dilma volta a discutir reforma com Barbosa
Dilma volta a discutir reforma com Barbosa (Foto: Roberto Stuckert Filho)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente da República, Dilma Rousseff, e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, voltaram a mostrar sintonia na questão da reforma política. De acordo com a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, os dois debateram o assunto pela segunda vez nesta sexta-feira 19.

Na primeira reunião, pouco depois da onda de manifestações que tomou o País, em junho, Barbosa defendeu a consulta popular a fim e apreciar uma emenda constitucional sobre uma reforma política. No encontro, o ministro deu conselhos a Dilma e manifestou seu apoio sobre "incluir o povo nas decisões". Leia mais em Barbosa: "A vontade dela coincide com a minha".

Leia abaixo as notas sobre o assunto da coluna Painel:

Sintonia... Em conversa ontem, Dilma e Joaquim Barbosa voltaram a falar de reforma política e da simpatia de ambos por uma lei de iniciativa popular sobre o tema, para valer ainda em 2014.

...fina
Segundo interlocutores, o presidente do Supremo Tribunal Federal defende que um eventual projeto trate do recall, em que a sociedade poderia retirar o mandato de políticos eleitos.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247