Disputa pelas presidências da Câmara e do Senado são 1º teste do governo Bolsonaro

Votação para as presidências da Câmara e do Senado será o primeiro teste do governo Jair Bolsonaro em relação ao Congresso Nacional; disputa no Senado deve contar com oito dos 81 senadores eleitos ou reeleitos e Renan Calheiros (MDB-AL) é apontado como um dos favoritos para assumir a presidência pela quinta vez; na Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) - que conta com o apoio de 15 partidos, incluindo o PSL de Bolsonaro -, disputa a recondução ao cargo pela segunda vez e é tido como favorito e deverá disputar o cargo com pelo menos outros cinco postulantes

Disputa pelas presidências da Câmara e do Senado são 1º teste do governo Bolsonaro
Disputa pelas presidências da Câmara e do Senado são 1º teste do governo Bolsonaro (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

247 - A votação para as presidências da Câmara e do Senado, que marca o início do mandato dos parlamentares eleitos no último pleito e que será realizada nesta sexta-feira (1), será o primeiro teste do governo Jair Bolsonaro em relação ao Congresso Nacional. Ao todo, a disputa pelo comando do Senado deve contar com oito dos 81 senadores eleitos ou reeleitos e o senador Renan Calheiros (MDB-AL) é apontado como um dos favoritos para assumir a presidência pela quinta vez. Na Câmara, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) - que conta com o apoio de 15 partidos, incluindo o PSL de Bolsonaro -, que disputa a recondução ao cargo pela segunda vez, é tido como favorito e deverá disputar o controle da Casa legislativa com pelo menos outros cinco postulantes.

Os postos em disputa são considerados estratégicos, já que podem definir o ritmo e pauta de votações, influenciando diretamente em projetos de interesse do governo, além de poderem indicar nomes para cargos em comissões e relatorias, além da abertura de CPIs, processos de impeachment, entre outros pontos.

De olho neste poder a presidência do Senado deverá ser disputada por Alvaro Dias (Podemos-PR); Ângelo Coronel (PSD-BA); Davi Alcolumbre (DEM-AP); Esperidião Amin (PP-SC); Major Olímpio (PSL-SP); Reguffe (sem partido-DF), Tasso Jereissati (PSDB-CE), além de Renan.
Na Câmara, além de Rodrigo Maia, a disputa tem como pré-candidatos Fábio Ramalho (MDB-MG); JHC (PSB-AL); Ricardo Barros (PR-PR); Marcel van Hattem (Novo-RS) e Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

Ao todo, dos 513 deputados que tomam posse nesta sexta-feira, 244 ocupam o cargo pela primeira vez, número que corresponde a 47,6% do total, somando 30 partidos diferentes. A bancada feminina na Câmara também cresceu 15% em comparação com a legislatura anterior e deverá contar com 77 representantes.

No Senado, 54 dos 81 senadores tomam posse nesta sexta-feira. Ao todo, dos parlamentares eleitos para esta legislatura, somente oito foram reeleitos. Diferente da Câmara, a participação de mulheres na Casa Legislativa foi reduzida de 13 para 12 senadoras. O número corresponde a 14,8% dos senadores. Um total de 16 partidos estarão representados no Senado.

Apesar do alto índice de renovação de parlamentares, o perfil dos parlamentares e de suas bancadas, contudo, é considerado o mais conservador desde a redemocratização do país.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247