CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

'É pouco provável que haja interesse em acordo com quem nos procura e depois nos chama de chantagista', diz líder do MDB

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

247 - O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), sinaliza a falta de aglutinação política por parte do Poder Executivo, comandado por Jair Bolsonaro, e afirma que o Congresso deve seguir a própria agenda. O parlamentar fez referência ao acordo firmado pelo general Ramos (Secretaria de Governo) com líderes do Congresso sobre o Orçamento impositivo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Acho pouco provável que haja interesse em um acordo com alguém que nos procura e depois nos chama de chantagista”, diz o parlamentar à coluna Painel. Refere-se à frase do general Augusto Heleno (GSI), que acusou o Congresso de tentar chantagear o governo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O emedebista reforçou que a economia internacional piorou, com os efeitos do coronavírus, e a turbulência política ajuda a derrubar a atividade econômica. “No que estou menos preocupado neste momento é se o acordo está de pé. Vamos tocar a vida, não dá para ficar no factóide”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, havia demonstrado irritação com o acordo. "Nós não podemos aceitar esses caras chantagearem a gente o tempo todo. Foda-se", disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE