Eduardo Campos virou à direita?

Será que o novo "galeguinho dos zóio azul" do Nordeste teria "endireitado"? Encontrou-se na calada da noite com Serra, firmou estranha "parceria" com Jarbas Vasconcelos e teria feito articulações com Jorge Bornhausen e ACM Neto

Será que o novo "galeguinho dos zóio azul" do Nordeste teria "endireitado"? Encontrou-se na calada da noite, "às escondidas", com José Serra, na casa deste em São Paulo. Firmou ainda uma estranha "parceria" com Jarbas Vasconcelos e, dizem as más línguas, já teria feito articulações com Jorge Bornhausen (!), em Santa Catarina, e ACM Neto, na Bahia. Teria virado à direita.

"Galeguinho dos zóio azul", assim era conhecido o hoje sumido Tasso Jereissati (PSDB) no Ceará dos irmãos Ciro e Cid Gomes. Ambos do PSB de Eduardo Campos. Ambos, amigos de Jereissati; que apoia Aécio; que não se bica com Serra; que apoia Campos; que "apoia" Dilma – o que nos remete ao poema "Quadrilha" de Carlos Drummond de Andrade .

É interessante de se notar, e registrar, ainda, como no Brasil os "galeguinhos" estão sempre governando os "mulatinhos".

É bem verdade que as triangulações do PSB de Pernambuco com o tucanato paulista, via "empresas amigas", para fins de financiamento de campanhas, já vem de longa data – só o PT é que não viu. Não à toa o PSB em SP é aliado dos tucanos. Siga o dinheiro – diz a velha máxima.

A promiscuidade na política brasileira faria corar os frequentadores dos antigos bordéis ou dos "bacanais" da Roma antiga. Afinal, o que é o encontro de Eduardo com Serra diante do encontro de Lula com Paulo Maluf na casa deste último em São Paulo? Vale tudo pela chamada governabilidade. Não. Não vale.

Vale se associar à escória da política nacional para obter dividendos eleitorais? Os fins justificam os meios? Cada tempo ou ocasião forja a sua própria moral e seu peculiar código de ética?

Por falar em ética: que mecanismo mental ou social propicia o milagre de fazer com que um político que responde a 11 inquéritos abertos pelo sempre vigilante Ministério Público sinta-se confortável dando aulas de ética numa faculdade? O que aprenderão os nossos jovens?! Ou ainda o que faz com que um procurador e ex-secretário de Segurança Pública de um estado, eleito senador da República e suposto baluarte da moral na tribuna do Senado, seja flagrado em associação com um renomado contraventor?

Nesse contexto a suposta guinada de um suposto "socialista" para a direita não nos deveria causar espanto. Não é mesmo? Deveria.

Como lembrou, recentemente, o senador petista Jorge Viana, um dos mais ponderados e esclarecidos quadros do petismo [que para tucano só falta o bico alongado e as plumas/penas]: "Eduardo Campos não é nosso [deles] inimigo" – lembrando-nos que o governador e candidato à Presidência integra a base aliada da presidenta Dilma.

Imaginem se fosse "inimigo"! Imaginem vocês se Campos não fosse da base "aliada"! Já pensaram?

Eduardo Campos virou à direita? Quem mais seguirá junto com ele?

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247