Em novo abuso, Lava Jato faz buscas em escritórios de advocacia

Com base no depoimento do ex-ministro Antonio Palocci e ferindo a isonomia de advogados, a Polícia Federal cumpre nesta sexta, de forma abusiva, dois mandados de busca e apreensão em escritórios de advocacia de investigados em São Paulo em Brasília

Policial federal carrega uma bolsa ao chegar à sede da Polícia Federal em São Paulo
Policial federal carrega uma bolsa ao chegar à sede da Polícia Federal em São Paulo (Foto: REUTERS/Nacho Doce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal deflagrou hoje, em conjunto com o Ministério Público Federal, nova fase da Operação Appius. Estão sendo cumpridos dois mandados de busca e apreensão, expedidos 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, em escritórios de advocacia de investigados em São Paulo em Brasília. A informação é do Portal UOL. 

Na primeira fase, deflagrada no último dia 7, a ação tinha como objetivo apurar crimes de corrupção e lavagem de dinheiro com base nas informações da delação premiada do ex-ministro dos governos petistas Antonio Palocci, que não apresenta provas concretas em suas delações. 

 O inquérito investiga o pagamento de propina por parte de uma empreiteira a agentes públicos com o fim de suspender e anular a Operação Castelo de Areia.

A Polícia Federal diz em nota "reconhecer a importância da advocacia e o sigilo do local de trabalho dos que exercem a atividade para o bom funcionamento da Justiça", mas justifica a medida "porque ela é voltada a apuração de indícios de crimes praticados por advogado responsável pelo escritório alvo das buscas"

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247