Esvaziado, Moro diz não fazer do Coaf uma 'questão pessoal'

Ministro da Justiça, Sérgio Moro, usou as redes sociais para afirmar que não fez "uma questão pessoal" ao tentar manter o Coaf sob o seu controle; Moro havia dito anteriormente que poderia pedir demissão caso tivesse seus poderes esvaziados, mas após uma comissão do Congresso decidir transferir o Coaf para o Ministério da Economia, ele negou que pense em deixar o governo

Esvaziado, Moro diz não fazer do Coaf uma 'questão pessoal'
Esvaziado, Moro diz não fazer do Coaf uma 'questão pessoal'

247 - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, usou as redes sociais para afirmar que não fez "uma questão pessoal" ao tentar manter o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sob o seu controle. Moro já havia dito anteriormente que poderia pedir demissão caso tivesse seus poderes esvaziados (leia no Brasil 247). Nesta quinta-feira (9), porém, após a comissão mista que analisa a reforma ministerial do Congresso decidir, por 14 votos a 11, transferir o Coaf para o Ministério da Economia, ele negou que pense em deixar o governo (leia no Brasil 247).

"Sobre o COAF, nunca fiz a permanência dele no MJSP uma questão pessoal. Defendi a medida para fortalecer o combate à corrupção, à lavagem de dinheiro, ao crime organizado e ao financiamento ao terrorismo. Já expliquei antes a relevância da permanência do COAF no MJSP", escreveu Moro no Twitter.

Segundo ele, enquanto o Coaf esteve sob a tutela do Ministério da Justiça, houve uma melhoria na integração do órgão de inteligência financeira e que 'fará mais' caso ele permaneça subordinado à sua pasta. Nesta quinta-feira, ele reconheceu a derrota ao afirmar que o governo "não foi bem sucedido, pelo menos em relação à decisão da comissão".

Confira a postagem do ministro Sérgio Moro sobre o assunto. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247