Ex-ministro tucano defende um pacto pró-Dilma

Para o economista Luiz Carlos Mendonça de Barros, um pacto de governabilidade a favor da presidente Dilma Rousseff, negociado por forças políticas como o PMDB e até, de modo informal, pelo PSDB, é a melhor solução para a crise política; ex-ministro das Comunicações de FHC, ele defende o ajuste fiscal e diz que não há, por enquanto, motivo para impeachment: "Claramente, há uma consciência de boa parte da sociedade de que não é hora de provocar ruptura institucional. E seria interessante que Dilma tivesse condições de gerir o ajuste econômico até os frutos, que vão aparecer"

Para o economista Luiz Carlos Mendonça de Barros, um pacto de governabilidade a favor da presidente Dilma Rousseff, negociado por forças políticas como o PMDB e até, de modo informal, pelo PSDB, é a melhor solução para a crise política; ex-ministro das Comunicações de FHC, ele defende o ajuste fiscal e diz que não há, por enquanto, motivo para impeachment: "Claramente, há uma consciência de boa parte da sociedade de que não é hora de provocar ruptura institucional. E seria interessante que Dilma tivesse condições de gerir o ajuste econômico até os frutos, que vão aparecer"
Para o economista Luiz Carlos Mendonça de Barros, um pacto de governabilidade a favor da presidente Dilma Rousseff, negociado por forças políticas como o PMDB e até, de modo informal, pelo PSDB, é a melhor solução para a crise política; ex-ministro das Comunicações de FHC, ele defende o ajuste fiscal e diz que não há, por enquanto, motivo para impeachment: "Claramente, há uma consciência de boa parte da sociedade de que não é hora de provocar ruptura institucional. E seria interessante que Dilma tivesse condições de gerir o ajuste econômico até os frutos, que vão aparecer" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Ex-ministro das Comunicações de FHC, Luiz Carlos Mendonça de Barros acredita que um pacto de governabilidade a favor da presidente Dilma Rousseff, negociado por forças políticas como o PMDB e até, de modo informal, pelo PSDB, é a melhor solução para a crise política.

Em entrevista ao ‘Estado de S. Paulo’, ele defende o ajuste fiscal e diz que não há, por enquanto, motivo para impeachment:

“O que começa a aparecer é que há uma tentativa de construção de governabilidade enquanto a economia sofre pelo ajuste. Estamos no início do que seria esse ‘acordão’. Claramente, há uma consciência de boa parte da sociedade de que não é hora de provocar ruptura institucional. E seria interessante que Dilma tivesse condições de gerir o ajuste econômico até os frutos, que vão aparecer”, disse (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email