FHC sobre Lava Jato: PMDB não vai parar nada que o país não queira

Ex-presidente FHC (PSDB) minimizou ontem, em evento realizado pela FGV, a ameaça de um eventual governo Michel Temer para a Lava Jato, apesar de integrantes do partido estarem entre os principais investigados pela operação por suspeita de corrupção, como o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o próprio vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP); "Quantos parlamentares há do PMDB? Sessenta e poucos. É 12% do Congresso. Nenhum partido sozinho faz nada, pode querer o que quiser, não adianta. Se não houver uma opinião nacional ninguém faz nada, não leva adiante as transformações. Ninguém vai parar nada que o país não queira parar"

Ex-presidente FHC (PSDB) minimizou ontem, em evento realizado pela FGV, a ameaça de um eventual governo Michel Temer para a Lava Jato, apesar de integrantes do partido estarem entre os principais investigados pela operação por suspeita de corrupção, como o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o próprio vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP); "Quantos parlamentares há do PMDB? Sessenta e poucos. É 12% do Congresso. Nenhum partido sozinho faz nada, pode querer o que quiser, não adianta. Se não houver uma opinião nacional ninguém faz nada, não leva adiante as transformações. Ninguém vai parar nada que o país não queira parar"
Ex-presidente FHC (PSDB) minimizou ontem, em evento realizado pela FGV, a ameaça de um eventual governo Michel Temer para a Lava Jato, apesar de integrantes do partido estarem entre os principais investigados pela operação por suspeita de corrupção, como o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o próprio vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP); "Quantos parlamentares há do PMDB? Sessenta e poucos. É 12% do Congresso. Nenhum partido sozinho faz nada, pode querer o que quiser, não adianta. Se não houver uma opinião nacional ninguém faz nada, não leva adiante as transformações. Ninguém vai parar nada que o país não queira parar" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) minimizou ontem, em evento realizado pela Fundação Getulio Vargas, em São Paulo, a ameaça de um eventual governo Michel Temer para a Lava Jato, apesar de integrantes do partido estarem entre os principais investigados pela operação por suspeita de corrupção, como o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o próprio vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP).

"É fundamental manter muito firme a ideia de que nós temos um Estado Democrático de Direito", disse.

"Quantos parlamentares há do PMDB? Sessenta e poucos. É 12% do Congresso. Nenhum partido sozinho faz nada, pode querer o que quiser, não adianta. Se não houver uma opinião nacional ninguém faz nada, não leva adiante as transformações. Ninguém vai parar nada que o país não queira parar. O país quer avançar", acrescentou ele.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247