Gilmar não aparece em discussão sobre suspeição de Janot

Uma ausência chama a atenção no julgamento do pedido da defesa de Michel Temer por suspeição contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot: a  de Gilmar Mendes; na abertura, a presidente da corte, Cármem Lúcia, anunciou a “ausência justificada” de Gilmar Mendes, a pretexto de um seminário qualquer, na audiência em que ele poderia “descascar” à vontade Rodrigo Janot, sem contraponto de Luís Roberto Barroso, que se encontra no exterior

Brasília - Ministro Gilmar Mendes durante sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF) para julgamento da validade das delações da JBS (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - Ministro Gilmar Mendes durante sessão plenária do Supremo Tribunal Federal (STF) para julgamento da validade das delações da JBS (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Charles Nisz)

Tijolaço - Começou o julgamento do pedido de suspeição de Rodrigo Janot por Michel Temer, no qual pede que o Procurador Geral da República fique impedido de tocar, no que tange à Presidência da República, dos inquéritos disparados a partir da delações de Joesley Batista e seus prepostos na JBS.

Na abertura, a presidente da corte, Cármem Lúcia, anunciou a “ausência justificada” de Gilmar Mendes, a pretexto de um seminário qualquer, na audiência em que ele poderia “descascar” à vontade Rodrigo Janot, sem sequer o contraponto de Luís Roberto Barroso, que se encontra no exterior.

O resultado, que já era previsível, sem Gilmar é absolutamente certo.

Dúvida há é se Janot, confirmado na acusação, apresentará hoje a segunda peça de denúncia contra Michel temer ou deixará que a quarta-feira seja de Moro, para apresentá-la amanhã ou depois.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247