Gleisi: Alckmin é o candidato de Temer

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), não demonstrou preocupação com o apoio do chamado "centrão", bloco partidário conservador, ao tucano Geraldo Alckmin para a disputa da Presidência da República. "Acho que ainda é pouco o horário que ele vai ter na TV, pouco para justificar o golpe", afirmou Gleisi durante plenária da CUT com sindicalistas de São Paulo e do Rio de Janeiro

Gleisi: Alckmin é o candidato de Temer
Gleisi: Alckmin é o candidato de Temer (Foto: Eduardo Matysiak)

Por Vitor Nuzzi, na Rede Brasll Atual A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), não demonstrou preocupação com o apoio do chamado "centrão", bloco partidário conservador, ao tucano Geraldo Alckmin para a disputa da Presidência da República. "Acho que ainda é pouco o horário que ele vai ter na TV, pouco para justificar o golpe", afirmou Gleisi durante plenária da CUT com sindicalistas de São Paulo e do Rio de Janeiro, na tarde desta sexta-feira (20), na quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo. Ela ratificou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Alckmin é o candidato do Temer, da Globo, do pacto das velhas elites brasileiras", acrescentou a senadora, para quem os adversário têm "medo" de Lula. A presidenta petista reafirmou que ele "estará no processo eleitoral e será candidato a presidente da República". Pesquisa qualitativa divulgada hoje, durante reunião do partido, mostrou que "as pessoas não querem outro candidato para votar".

Para Gleisi, o registro de candidatura de Lula, em 15 de agosto, em Brasília, seria "a coisa mais afrontosa que podemos fazer ao sistema", uma demonstração de não reconhecimento da condenação do ex-presidente. "Estamos com a pré-campanha montada. Hoje, aprovamos as diretrizes." Ela informou ainda que no dia do registro haverá manifestações em embaixadas brasileiras pelo mundo.

"Quem jogou o país na instabilidade foram eles", disse a senadora. "Vários candidatos já concorreram, inclusive com registro suspenso", acrescentou, chamando Lula de "próximo presidente da República".

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), líder da bancada, disse que esta não é uma eleição "comum", mas aquela em que se pretende "derrotar o golpe", e com essa perspectiva Lula é personagem central, "porque ele fala com o Brasil profundo".

Ele ironizou o apoio do bloco conservador a Alckmin. "O 'centrão' devia se chamar 'direitão'. Essa foi a decisão da burguesia brasileira", comentou Lindbergh, destacando decisão desta semana do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que rejeitou pedido do Movimento Brasil Livre para declarar Lula inelegível desde já.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247