Gleisi: prisão de Lula é ‘política, que vai expor o Brasil ao mundo’

Em uma coletiva à imprensa nesta tarde, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o julgamento do habeas corpus de Lula no STF retirou do ex-presidente o "direito à presunção de inocência", previsto na Constituição; "Lula segue candidato porque é inocente e, portanto, tem o direito a se candidatar", ressaltou; “Nós não aceitamos essa prisão, não como ela está estabelecida. Se ela acontecer será uma violência ao presidente. Essa é uma prisão política que vai expor o Brasil ao mundo", declarou; assista

Em uma coletiva à imprensa nesta tarde, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o julgamento do habeas corpus de Lula no STF retirou do ex-presidente o "direito à presunção de inocência", previsto na Constituição; "Lula segue candidato porque é inocente e, portanto, tem o direito a se candidatar", ressaltou; “Nós não aceitamos essa prisão, não como ela está estabelecida. Se ela acontecer será uma violência ao presidente. Essa é uma prisão política que vai expor o Brasil ao mundo", declarou; assista
Em uma coletiva à imprensa nesta tarde, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o julgamento do habeas corpus de Lula no STF retirou do ex-presidente o "direito à presunção de inocência", previsto na Constituição; "Lula segue candidato porque é inocente e, portanto, tem o direito a se candidatar", ressaltou; “Nós não aceitamos essa prisão, não como ela está estabelecida. Se ela acontecer será uma violência ao presidente. Essa é uma prisão política que vai expor o Brasil ao mundo", declarou; assista (Foto: Gisele Federicce)

247 - Em uma coletiva à imprensa nesta tarde, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), afirmou nesta quinta-feira 5 que o julgamento do habeas corpus de Lula no STF retirou do ex-presidente o "direito à presunção de inocência", previsto na Constituição. "Lula segue candidato porque é inocente e, portanto, tem o direito a se candidatar. E não tenho dúvidas de que se candidato for, tem tudo para se eleger o próximo presidente do Brasil", ressaltou.

“Lamentavelmente uma parte dos ministros do STF impediu que o tribunal cumprisse o seu papel de guardião da Constituição, retirando do presidente Lula o direito que a Carta Magna lhes resguarda: a presunção de inocência, de responder e de se defender em liberdade até que o seu processo fosse julgado em última instancia”, declarou Gleisi.

De acordo com a senadora, o próximo passo do partido agora é atuação, junto com a sociedade, no sentido de reivindicar que o STF paute o quanto antes o julgamento as Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que contestam o entendimento de prisão de réus após condenação em segunda instância. "O Supremo tem que pautar logo, até porque as ações já estão aguardando há algum tempo para serem avaliadas. E, pelo posicionamento da maioria dos ministros, essa posição será revista", declarou.

“Consideramos que a prisão seria uma injustiça”, declarou ainda Gleisi. “Nós não aceitamos essa prisão, não como ela está estabelecida. Se ela acontecer será uma violência ao presidente. Essa é uma prisão política que vai expor o Brasil ao mundo. Viraremos uma republiqueta de bananas”, ressaltou.

Assista à íntegra da entrevista:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247