Governadores tucanos divergem sobre CPMF

"Nós defendemos que, em momentos excepcionais, é possível ter aumento de tributos. Mas antes é preciso reduzir despesas. Há 142 empresas estatais que existem desde 1808 no Brasil, sendo que 42 foram criadas no governo do PT", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); Beto Richa (PR) e Pedro Taques (MT) também se posicionaram contra; já Marconi Perillo (GO) reconheceu que o compartilhamento da receita da CPMF será "importante para os caixas estaduais e municipais"

"Nós defendemos que, em momentos excepcionais, é possível ter aumento de tributos. Mas antes é preciso reduzir despesas. Há 142 empresas estatais que existem desde 1808 no Brasil, sendo que 42 foram criadas no governo do PT", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); Beto Richa (PR) e Pedro Taques (MT) também se posicionaram contra; já Marconi Perillo (GO) reconheceu que o compartilhamento da receita da CPMF será "importante para os caixas estaduais e municipais"
"Nós defendemos que, em momentos excepcionais, é possível ter aumento de tributos. Mas antes é preciso reduzir despesas. Há 142 empresas estatais que existem desde 1808 no Brasil, sendo que 42 foram criadas no governo do PT", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB); Beto Richa (PR) e Pedro Taques (MT) também se posicionaram contra; já Marconi Perillo (GO) reconheceu que o compartilhamento da receita da CPMF será "importante para os caixas estaduais e municipais" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Governadores tucanos não chegaram a um consenso sobre a proposta do governo de recriar a CPMF. Cinco dos seis governadores do PSDB se reuniram nesta terça-feira, 22, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para discutir o assunto.

"Nós defendemos que, em momentos excepcionais, é possível ter aumento de tributos. Mas antes é preciso reduzir despesas. Há 142 empresas estatais que existem desde 1808 no Brasil, sendo que 42 foram criadas no governo do PT", disse o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Em crise no Paraná, Beto Richa, disse que "a maioria do PSDB" é contra a recriação da CPMF. Já o governador do Mato Grosso, Pedro Taques, recém filiado ao PSDB, foi ainda mais categórico: "Sou contrário a criação de impostos nesse momento de crise".

Por outro lado, o governador do Goiás, Marconi Perillo, reconheceu que o compartilhamento da receita da CPMF será "importante para os caixas estaduais e municipais".

Leia aqui a reportagem de Pedro Venceslau sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247