Guedes e Braga Netto terão que explicar gastos do governo ao TCU

Ministro do TCU Bruno Dantas intimou os dois ministros a esclarecer a criação de despesas permanentes com base na flexibilização fiscal criada pelo Orçamento de Guerra, que vale até 31 de dezembro

(Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), intimou os ministros Paulo Guedes (Economia), e Braga Netto (Casa Civil), a prestarem esclarecimentos sobre a criação de despesas permanentes com base na flexibilização fiscal criada pelo Orçamento de Guerra, que vale até 31 de dezembro.

Segundo o ministro do TCU, o governo projeta receitas de R$ 1,4 trilhão até o fim do ano, mas despesas de R$ 1,9 trilhão. Isso resultará num déficit “estratosférico” de R$ 787 bilhões.

“Diante desse cenário, tornam-se imprescindíveis medidas de controle efetivo do crescimento das despesas obrigatórias de caráter continuado”, afirmou Dantas, segundo o site O Antagonista.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247