Haddad politiza falta de combustível em São Paulo

Marcado pelas falhas do Exame Nacional do Ensino Mdio enquanto ministro da Educao, pr-candidato do PT em So Paulo diz que houve "falta de planejamento" da administrao municipal na implementao da medida que restringiu a circulao de caminhes pesados na Marginal do Tiet

Haddad politiza falta de combustível em São Paulo
Haddad politiza falta de combustível em São Paulo (Foto: Agência Estado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Livre para criticar a gestão do prefeito Gilberto Kassab, depois que o PSD embarcou na campanha do pré-candidato do PSDB, José Serra, o pré-candidato do PT à sucessão municipal na Capital, Fernando Haddad, disse que houve "falta de planejamento" da administração municipal em São Paulo na implementação da medida que restringiu a circulação de caminhões pesados na Marginal do Tietê. A medida provocou desabastecimento nos postos da cidade, em razão do protesto de caminhoneiros autônomos que fazem o transporte de combustível na Capital. A restrição à circulação de caminhões na marginal Tietê e em outras 25 vias da Capital começou a vigorar em dezembro do ano passado, porém, as multas começaram a ser aplicadas na última segunda-feira (05).

Na avaliação do pré-candidato petista, todo este episódio foi marcado pela "falta de planejamento" e de diálogo dos agentes municipais da gestão de Kassab com os motoristas. "Quando se comete um erro estratégico, você acaba tendo de fazer remendos. Quando você erra no planejamento, você acaba tendo que, açodadamente, se precipitar e nem sempre se estabelece o diálogo necessário para se construir uma saída", disse ele, na manhã de hoje (07), após assinar carta-compromisso com o desenvolvimento sustentável de São Paulo, do Programa Cidades Sustentáveis, da Rede Nossa São Paulo.

Para Haddad, a Prefeitura também cometeu um erro estratégico, ao abandonar os investimentos em uma matriz multimodal. E como consequência, está sofrendo os reflexos de uma medida (restrição aos caminhões) emergencial. "Nós cometemos um erro estratégico, que foi abandonar os investimentos em uma matriz multimodal. Ao abandonar essa perspectiva, você é desafiado pelo curto prazo", argumentou. Pela medida que restringe o tráfego de caminhões pesados na Marginal do Tietê e em mais 25 vias da Capital, estão proibidos de circular nesses locais veículos pesados entre 5 e 9 horas e entre 17 e 22 horas, de segunda a sexta-feira, e das 10h às 14h aos sábados. A multa é de R$ 85,13 e acarretará quatro pontos na habilitação.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email