'Impeachment de Dilma é ataque moral à democracia'

Ex-presidente Lula afirma na Espanha que "não há base legal ou jurídica para o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Trata-se de um ataque moral à democracia"; ele participa do seminário "O Desafio dos Emergentes", organizado pelo jornal El País na Espanha, que conta também com a presença de Felipe González, ex-presidente espanhol; "Dizem que o que acontece hoje no Brasil é para impedir que eu volte à presidência. O país não merece esse sacrifício. É melhor fazer o debate", defendeu Lula; sobre a crise econômica, ele disse que "temos um potencial enorme de recuperação da economia. O Brasil é muito produtivo"

Ex-presidente Lula afirma na Espanha que "não há base legal ou jurídica para o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Trata-se de um ataque moral à democracia"; ele participa do seminário "O Desafio dos Emergentes", organizado pelo jornal El País na Espanha, que conta também com a presença de Felipe González, ex-presidente espanhol; "Dizem que o que acontece hoje no Brasil é para impedir que eu volte à presidência. O país não merece esse sacrifício. É melhor fazer o debate", defendeu Lula; sobre a crise econômica, ele disse que "temos um potencial enorme de recuperação da economia. O Brasil é muito produtivo"
Ex-presidente Lula afirma na Espanha que "não há base legal ou jurídica para o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Trata-se de um ataque moral à democracia"; ele participa do seminário "O Desafio dos Emergentes", organizado pelo jornal El País na Espanha, que conta também com a presença de Felipe González, ex-presidente espanhol; "Dizem que o que acontece hoje no Brasil é para impedir que eu volte à presidência. O país não merece esse sacrifício. É melhor fazer o debate", defendeu Lula; sobre a crise econômica, ele disse que "temos um potencial enorme de recuperação da economia. O Brasil é muito produtivo" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-presidente Lula voltou a criticar o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira 11. Lula participa do seminário "O Desafio dos Emergentes", organizado pelo jornal El País na Espanha, que conta também com a presença de Felipe González, ex-presidente espanhol.

Ele também definiu a tentativa de afastamento de Dilma como uma reação "desesperada" do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quem já acusou de "vingança" em discurso nessa semana em Berlim. "Não há base legal ou jurídica para o impeachment de Dilma. Trata-se de um ataque moral à democracia", declarou o ex-presidente.

Lula lembrou que alguns articulistas apontam que tudo isso estaria sendo feito para evitar sua volta em 2018. E defendeu: "Dizem que o que acontece hoje no Brasil é para impedir que eu volte à presidência. O país não merece esse sacrifício. É melhor fazer o debate".

A respeito da crise econômica por que passa o Brasil, Lula afirmou que "temos um potencial enorme de recuperação da economia. O Brasil é muito produtivo".

Comentando o cenário internacional, Lula falou elogiou a chanceler alemã Angela Merkel, que está sofrendo ataques da direita e de seu próprio partido por ter a coragem de abrigar refugiados na Alemanha. Disse acreditar que o novo presidente argentino, Mauricio Macri, agirá à altura dos desafios do Mercosul e da América Latina. E ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ofereceu um conselho: "muito diálogo".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email