Ivan Valente: situação de Segóvia na PF se complicou

Para o deputado federal Ivan Valente (PSol/SP), a situação de Fernando Segóvia à frente da PF "se complicou bastante" depois de suas declarações de que a tendência é que o inquérito contra Temer no caso dos portos seria arquivado; "A interpelação de Barroso do STF a ele são corretas. Suas atitudes deixaram um rastro de proteção a Temer. Comissão de Ética Pública e Câmara devem ser acionados para pedir explicações", escreveu o deputado em seu Twitter

 Ivan Valente
 Ivan Valente (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - Para o deputado federal Ivan Valente (PSol/SP), a situação de Fernando Segóvia à frente da Polícia Federal "se complicou bastante" depois da declaração que deu em entrevista à agência Reuters, de que a tendência na PF seria arquivar investigação contra Michel Temer no caso dos portos.

Segóvia foi interpelado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso a esclarecer as declarações. Em carta interna aos servidores da PF, ele negou ter afirmado que o caso será arquivado e ressaltou a independência do delegado responsável pelo caso. Ele irá conversar com Barroso na próxima quarta-feira, segundo a assessoria da PF.

"A situação de Fernando Segóvia à frente da PF se complicou bastante. A interpelação de Barroso do STF a ele são corretas. Suas atitudes deixaram um rastro de proteção a Temer. Comissão de Ética Pública e Câmara devem ser acionados para pedir explicações. Temer e Porto de Santos: Tudo a ver!", escreveu o deputado em seu Twitter.

As declarações de Segovia criam um problema para Temer, pois a PF agora não tem saída a não ser indiciar Temer por recebimento de propina no Porto de Santos, além de facilitar a edição de um Medida Provisória favorecendo a empresa Rodrimar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247