JBS comprou presidência da Câmara para Cunha, delata Funaro

O empresário Lúcio Funaro —apontado pela Lava Jato como operador da cúpula do PMDB— confirmará sem seu acordo de delação premiada com a operação o que já havia sido antecipado por Joesley Batista: a JBS comprou a presidência da Câmara para Eduardo Cunha; segundo o dono da JBS, a empresa repassou R$ 30 milhões para Cunha "sair comprando um monte de deputados do Brasil a fora"; Cunha —que teve um papel crucial no impeachment de Dilma Rousseff— foi eleito para presidir a Câmara em fevereiro de 2015, com apoio de 267 deputados

Funaro. Cunha e Joesley
Funaro. Cunha e Joesley (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A delação premiada de Lúcio Funaro —negociada com a força-tarefa da Lava Jato— promete afundar ainda mais o deputado cassado Eduardo Cunha.

Segundo interlocutores de Funaro, ele dirá em seu acordo de colaboração que a eleição de Eduardo Cunha para a presidência da Câmara foi comprada pelo empresário Joesley Battista, da JBS.

Joesley afirma que deu R$ 30 milhões para Cunha "sair comprando um monte de deputados Brasil a fora. Para isso que servia esses R$ 30 milhões". Na ocasião, em fevereiro de 2015, Cunha foi eleito em primeiro turno e com o apoio de 267 deputados.

As informações são da Coluna do Estadão. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247