Joesley e Saud citam ministros do STF em diálogos desconexos

Nas novas gravações entregues pelos delatores da JBS à Procuradoria-Geral da República, pelo menos três ministros do Supremo Tribunal Federal são citados em conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud; Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e a presidente do STF, Cármen Lúcia, são citados na conversa; diálogo, no entanto, não traz nenhuma informação concreta ou evidência de que os magistrados pudessem estar implicados em alguma irregularidade; as conversas são desconexas – começam a falar de alguém, logo depois mudam de assunto – e há muitas partes inaudíveis; há também uma citação a "Marco Aurélio", mas é possível concluir que não se trata do ministro Marco Aurélio Mello

Nas novas gravações entregues pelos delatores da JBS à Procuradoria-Geral da República, pelo menos três ministros do Supremo Tribunal Federal são citados em conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud; Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e a presidente do STF, Cármen Lúcia, são citados na conversa; diálogo, no entanto, não traz nenhuma informação concreta ou evidência de que os magistrados pudessem estar implicados em alguma irregularidade; as conversas são desconexas – começam a falar de alguém, logo depois mudam de assunto – e há muitas partes inaudíveis; há também uma citação a "Marco Aurélio", mas é possível concluir que não se trata do ministro Marco Aurélio Mello
Nas novas gravações entregues pelos delatores da JBS à Procuradoria-Geral da República, pelo menos três ministros do Supremo Tribunal Federal são citados em conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud; Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e a presidente do STF, Cármen Lúcia, são citados na conversa; diálogo, no entanto, não traz nenhuma informação concreta ou evidência de que os magistrados pudessem estar implicados em alguma irregularidade; as conversas são desconexas – começam a falar de alguém, logo depois mudam de assunto – e há muitas partes inaudíveis; há também uma citação a "Marco Aurélio", mas é possível concluir que não se trata do ministro Marco Aurélio Mello (Foto: Aquiles Lins)

247 - Nas novas gravações entregues pelos delatores da JBS à Procuradoria-Geral da República, pelo menos três ministros do Supremo Tribunal Federal são citados em conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud. 

Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e a presidente do STF, Cármen Lúcia são citados na conversa. O diálogo, no entanto, não traz nenhuma informação concreta ou evidência de que os magistrados pudessem estar implicados em alguma irregularidade. Os diálogos são desconexos – começam a falar de alguém, logo depois mudam de assunto – e há muitas partes inaudíveis. Há também uma citação a "Marco Aurélio", mas é possível concluir que não se trata do ministro Marco Aurélio Mello.

Há ainda citações ao ex-ministro da Justiça do governo Dilma Rousseff José Eduardo Cardozo. Em um deles, eles dizem que a advogada Fernanda (aparentemente Fernanda Tórtima) "surtou" quando foi levantada a possibilidade de arrastar o ex-auxiliar de Dilma Rousseff (PT) para as delações.

"Ela [Fernanda] surtou porque sabe que, se nós entregarmos o Zé, nós entregamos o Supremo (...) Eu falei para o Marcelo [Miller, ex-procurador da República, que se demitiu para trabalhar para a JBS]: você quer pegar o Supremo, pega o Zé", afirma Joesley em um trecho da conversa.

As informações são da revista Veja

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247