Líder do DEM: Moro prendeu Cunha para prender Lula

A prisão de Eduardo Cunha, nesta quarta-feira 19, determinada pelo juiz Sérgio Moro, é uma forma de enfraquecer a tese do PT de que sofre perseguição na Operação Lava Jato e de que haveria a possibilidade até de o ex-presidente Lula ser preso antes do deputado cassado, na visão de políticos da atual situação do governo Temer, e que defendem a prisão de Lula; segundo o líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), "a prisão de Cunha abre caminho para a prisão de Lula"; "O PT não vivia dizendo que não podia prender o Lula sem antes prender o Cunha? Agora, o caminho está aberto, e as portas de Curitiba também", disse

A prisão de Eduardo Cunha, nesta quarta-feira 19, determinada pelo juiz Sérgio Moro, é uma forma de enfraquecer a tese do PT de que sofre perseguição na Operação Lava Jato e de que haveria a possibilidade até de o ex-presidente Lula ser preso antes do deputado cassado, na visão de políticos da atual situação do governo Temer, e que defendem a prisão de Lula; segundo o líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), "a prisão de Cunha abre caminho para a prisão de Lula"; "O PT não vivia dizendo que não podia prender o Lula sem antes prender o Cunha? Agora, o caminho está aberto, e as portas de Curitiba também", disse
A prisão de Eduardo Cunha, nesta quarta-feira 19, determinada pelo juiz Sérgio Moro, é uma forma de enfraquecer a tese do PT de que sofre perseguição na Operação Lava Jato e de que haveria a possibilidade até de o ex-presidente Lula ser preso antes do deputado cassado, na visão de políticos da atual situação do governo Temer, e que defendem a prisão de Lula; segundo o líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), "a prisão de Cunha abre caminho para a prisão de Lula"; "O PT não vivia dizendo que não podia prender o Lula sem antes prender o Cunha? Agora, o caminho está aberto, e as portas de Curitiba também", disse (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A prisão de Eduardo Cunha, nesta quarta-feira 19, determinada pelo juiz Sérgio Moro, é uma forma de enfraquecer a tese do PT de que sofre perseguição na Operação Lava Jato e de que haveria a possibilidade até de o ex-presidente Lula ser preso antes do deputado cassado.

Nesse sentido, o líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), fez uma provocação aos petistas, ao dizer que "a prisão de Cunha abre caminho para a prisão de Lula".

"O PT não vivia dizendo que não podia prender o Lula sem antes prender o Cunha? Agora, o caminho está aberto, e as portas de Curitiba também", afirmou o deputado.

O jornalista Palmério Doria divulgou nas redes sociais sua tese nessa linha: "Absolutamente contra a vontade de Moro, a prisão de Cunha é apenas um álibi para o encarceramento de Lula".

Cunha é réu no Supremo Tribunal Federal sob acusações de ter recebido R$ 5 milhões em propina no esquema da Petrobras, ter sustentado constas secretas na Suíça e atrapalhado investigações.

De acordo com o Ministério Público Federal, Cunha representava risco à instrução do processo e à ordem pública se estivesse em liberdade. Os procuradores argumentaram ainda que "há possibilidade concreta de fuga em virtude da disponibilidade de recursos ocultos no exterior" e da dupla nacionalidade, uma vez que Cunha tem passaporte italiano.

Após a prisão de Cunha, paralisou as atividades. O quórum caiu, o que provocou a suspensão da sessão e todas as comissões pararam. Para o líder do DEM, a prisão causa um "estresse político" em Brasília. "A Casa vai continuar funcionando. Mas que causa um estresse político, causa. Mas não acredito que afete os trabalhos", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247