Lula à Lava Jato: espero pedido de desculpas

"Eu espero que quando terminar isso aqui alguém peça desculpas. Alguém fale: 'Desculpe, pelo amor de Deus, foi um engano'", declarou o ex-presidente à Polícia Federal, no dia em que foi levado coercitivamente para depor no Aeroporto de Congonhas, no âmbito da 24ª fase da Operação Lava Jato, sexta-feira 4; Lula também disse que será candidato à presidência em 2018; "Porque acho que muita gente que fez desaforo pra mim vai aguentar desaforo daqui pra frente. Vão ter que ter coragem de me tornar inelegível", disse; Lula diz também que caso do triplex no Guarujá foi "invenção" da PF, uma "sacanagem homérica"; íntegra da transcrição do depoimento foi disponibilizada nesta segunda pela Justiça Federal do Paraná

247 – O ex-presidente Lula disse à Polícia Federal esperar um pedido de desculpas da Lava Jato, em depoimento prestado na sexta-feira 4, quando foi conduzido coercitivamente pelos policiais a depor num posto da PF no Aeroporto de Congonhas, no âmbito da 24ª fase da investigação. A íntegra da transcrição do depoimento foi disponibilizada nesta segunda-feira 14 pela Justiça Federal do Paraná.

Nesse mesmo dia da operação, batizada de Aletheia, foram alvo de busca e apreensão a casa do ex-presidente, em São Bernardo do Campo, o Instituto Lula, na zona sul de São Paulo, a casa de seu filho Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, em Moema, o triplex no Guarujá, no litoral paulista, e o sítio em Atibaia, interior de São Paulo.

"Eu espero que quando terminar isso aqui alguém peça desculpas. Alguém fale: 'Desculpe, pelo amor de Deus, foi um engano'", declarou o ex-presidente à Polícia Federal. Lula também disse ao delegado que será candidato à presidência em 2018. "(...) vou ser candidato à Presidência em 2018 porque acho que muita gente que fez desaforo pra mim, vai aguentar desaforo daqui pra frente. Vão ter que ter coragem de me tornar inelegível", disse.

No depoimento, Lula responde a questionamentos sobre doações feitas ao Instituto Lula, sobre a sede, localizada no bairro do Ipiranga, diz não saber que havia reforma no sítio em Atibaia, pelo qual Lula é acusado de receber favores de empreiteiras como Odebrecht e OAS, e reforça que o triplex no Guarujá não pertence a ele. O ex-presidente diz que o Ministério Público de São Paulo terá de provar que o imóvel pertence a ele. De acordo com Lula, o caso do triplex foi uma "invenção" da PF, uma "sacanagem homérica".

Leia aqui a íntegra.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247