Lula cobra do mundo político: “Vamos tirar o Bolsonaro?”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que a luta política no Brasil gira agora na defesa da democracia, mas precisa ser ampliada para a retirada de Jair Bolsonaro e do General Hamilton Mourão do Palácio do Planalto

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PT  na Câmara - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que a luta política no Brasil gira agora na defesa da democracia, mas precisa ser ampliada para a retirada de Jair Bolsonaro e do General Hamilton Mourão do Palácio do Planalto. “O que a gente precisa saber é o seguinte: vamos tirar o Bolsonaro?”, cobrou. “Ele já cometeu vários crimes de responsabilidade e vai ser responsabilizado pela História pelo genocídio de milhares de vidas pelo coronavírus. A gente poderia ter evitado isso, como ocorreu em outros países”, lembrou o líder petista.

“Muita gente que defende a criação de uma ‘frente’ não defende o impeachment (de Bolsonaro)”, lamentou Lula. “Não defende a mudança do governo, da política econômica. Ora, frente contra o que, então? O ideal seria uma frente para tirar o Bolsonaro e o Mourão e fazer novas eleições”, disse. Ele disse que dificilmente o país teria uma frente ampla nos moldes do que o Uruguai experimenta há várias anos. “Mas é possível criar frentes eleitorais. Foi isso que aconteceu em 2002”, comentou Lula.

Ele comentou as críticas feitas pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo ex-ministro Ciro Gomes, que o têm criticado e ao PT, por não aderir a manifestos da sociedade civil na defesa da democracia. Lula ainda rebateu a tese veiculada por colunistas da velha imprensa brasileira de que o PT é responsável direto pela eleição de Bolsonaro em 2018. O petista reagiu indignado: “O Ciro viaja para Paris, o FHC anula o voto e eles vêm dizer que PT elegeu Bolsonaro? Tenha dó”.

O ex-presidente descartou a hipótese de vir a ser candidato à Presidência em 2022 e disse que o PT e as esquerdas têm muitos nomes para disputar o cargo, como Fernando Haddad, o próprio Ciro Gomes e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). “Não precisam ter medo do Lula, porque estou inelegível nesse momento. Mas é preciso dar a chance do povo escolher um representante civilizado”, defendeu.

Lula disse que quer enfrentar o ex-juiz Sérgio Moro num debate direto em qualquer tribuna. “Eu tô provocando o Moro e o (procurador Deltan) Dallagnol pra debaterem comigo, ao vivo. Se a Globo quiser fazer, eu topo. Porque é preciso desmascarar esses canalhas e mostrar o que eles fizeram ao país”, criticou. O ex-presidente diz que a Lava Jato destruiu empregos e prejudicou a economia com o pretexto de combater a corrupção. “O Moro é marionete dos Departamento de Justiça dos EUA”, comentou.

Ele disse que um dos caminhos para retirar Bolsonaro por via democrática e institucional, além da aprovação do impeachment pelo Congresso Nacional, tendo em vista os inúmeros ataques às instituições democráticas e a sucessão de crimes de responsabilidade, é a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão pelo Tribunal Superior Eleitoral. “O pode julgar o processo das fake news e cassar a chapa. Se tiver argumento jurídico e coragem política pra isso… Agora é brigar e pressionar”, ressaltou.

Lula concedeu a entrevista aos blogueiros Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania), Leonardo Stoppa, Samuel Borelli, Cynara Menezes (Socialista Morena), Thiago dos Reis (Plantão Brasil), João Antonio (Click Política), Ronny Telles, Ana Roxo, Rogério Anitablian e Altamiro Borges (Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé).

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247